PROGRAMA ACERTAR É HUMANO

#068

No último dia do ano de 2015, o apresentador Nélson Sartori faz uma retrospectiva dos temas destaques que foram abordados durante o ano.

068 - Programa Acertar é Humano: de 31/12/2015

Programa Acertar é Humano (31/12/2015)

Nélson Sartori e Sulivan França

Tempo de áudio
24 minutos e 56 segundos
Legenda
... ➔ pausa ou interrupção do discurso
[...] ➔ palavra/trecho incompreensível
[comentário] ➔ comentários do transcritor

♪ [tema acertar é humano] ♪

Começa agora na Mundial Acertar é Humano, um programa que apresenta crônicas com humor e foco na solução, sempre falando de temas diversos como empreendedorismo, liderança, esporte, atualidades, comunicação entre outros. Tudo isso seguindo a filosofia do coaching.

Programa Acertar é Humano, uma produção da Sociedade Latino-Americana de Coaching, a elite do coaching no Brasil. Apresentação Sulivan França e Nélson Sartori.

[NÉLSON] Olá, ouvinte Mundial, bom dia. Bom dia, meus amigos, Evaldo Ribeiro, meu grande amigo, a todos.

Estamos aqui no dia 31 de dezembro de 2015, oúltimo programa do ano. Hoje, é o último dia do ano; Já estamos há dois anoscom vocês e vamos aproveitar para fazer uma retrospectiva. No final de ano éimportante fazermos uma reavaliação, falamos muito sobre isso durante o ano e éimportante termos a ideia de que existe o momento de pararmos e pensarmos,reavaliarmos e revermos tudo aquilo que foi falado.

Falamos sobre muitas coisas este ano. Trouxe aquiuma lista de alguns pontos importantes que falamos, que é para lembrarmos,revermos uma parte disso tudo que foi visto. Não vou falar de todos, mas trouxealguns pontos aqui que tiveram muito significado na vida de muita gente queentrou em contato conosco.

RETROSPECTIVA 2015

Apesar de estar aqui para desejar a todos vocês umano de 2006 maravilhoso, porque, por mais que muitos pessimistas digam que opróximo ano nos trará carga bastante pesada, no que diz respeito às estruturaspolíticas, profissionais, seja lá o que for, isso não é verdade, tudo vaidaquilo que impomos e dos projetos que temos. Se colocamos nossos projetos emevidência, fazemos nosso planejamento, seguimos passo a passo nosso objetivo, éimpossível não seguirmos em frente. As pessoas que são pessimistas são aquelasque desistiram antes de começar e isso é muito triste.

Quando as pessoas olham para o futuro que ainda nãochegou, tem de ser construído, – sabemos que o futuro é construído – já trazemuma perspectiva negativa. Isso é horrível.

Como alguns estudiosos dizem: “É o ano do cavalo, oano em que vai passar por nós.”. Se deixar que passe e não acompanhar, vaificar para trás. É um ano de muitos acontecimentos para todos, porque todos têmessa característica, continuamos caminhando, não importa o que venha acontecer.Então é importante termos em mente sempre novos projetos.

Assim como falamos muitas coisas nesse ano, aindahá muitas, infinitas, no ano que vai entrar.

Temos vários projetos, ideias. Trazer pessoas parapoderem falar sobre suas experiências, seus projetos, o que deu certo, errado,como agiam, para que tenhamos o nosso referencial, sem contar que vamoscontinuar debatendo sobre coisas importante que acontecem no mundo que vivemos,que estão acontecendo.

Na sequência, verão nos próximos programas, teremosmais dois programas com nosso historiador, que já veio em um programa, falandoum pouco sobre tudo aquilo que aconteceu esse ano e que ainda podem acontecer apartir dos conflitos gerados pelo Estado Islâmico, conflitos na França e assimpor diante.

Como é o nosso momento de finalização, gostaria detrazer algumas ideias que foram importantes que trabalhamos.

A Família

A primeira dessas ideias foi a família, falamosmuito sobre a família, porque a família é nossa base. A família é o berço em quecaímos, ninguém escolhe, nos é dada, somos colocados em uma família. Bem oumal, por missão, seja lá como queira encarar, é ali que estão nossas raízes, édali que viemos, as bases que temos.

Devemos reconhecer quando existem falhas, procurarpromover a solução dos problemas, procurar trabalhar sempre ideias que possamgerar, transformar coisas negativas em positivas e o importante é que emfamília estamos em conjunto. Sempre temos quem nos acolha, a quem nós podemosacolher, porque, às vezes, as pessoas precisam da gente muito mais do queprecisamos dos outros. Falamos muito sobre a família, sobre o seu papel.

Outro tema que falamos é sobre solidariedade.

Solidariedade

Solidariedade é um sentimento, pensamento, espíritoque temos de ter, uma estrutura, para sabermos que não estamos sozinhos.

Ser solidário significa estar ao lado daqueles queprecisam de alguma coisa, daqueles que necessitam, é pensar que existe maisgente vivendo ao nosso lado e que muitas delas vivem ao nosso lado porqueprecisam de nós, muitas vezes sabe disso, sabemos que podemos fazer algumacoisa e quando não sabemos, temos de procurar saber o que é que podemos fazerpelos outros.

Lembre-se, não vivemos sozinhos, assim como nafamília estamos cercados de pessoas, no mundo também.

Existe todo tipo de gente ao nosso lado, desdeaqueles que precisam de orientação para seguir um caminho melhor, até os queestão ali com a mão estendida para nos ajudar a seguir o caminho também, entãotemos que estar atentos a tudo isso.

Ser solidário significa estar ao lado, sercompanheiro, estar sempre disposto andar de mãos dadas nos momentos bons eruins, porque isso sempre acontece e será sempre pior se estivermos sozinhos.

Outra coisa que falamos bastante, que é parte,logicamente, da vida de todos nós, é sobre crença.

Crença

Crença é tudo aquilo que impõe a sua expectativa.Crer em algo, termos crenças, coisas em que acreditamos que muitas vezes sãopositivas e outras negativas. Lembre-se que muitas vezes são por crenças quedeixamos de caminhar, acreditamos que as coisas não darão certo.

Da mesma forma que aquilo é positivo e vamos emfrente quando acreditamos que aquilo é negativo, criamos uma aura pessimistamuito grande e por isso não crescemos, evoluímos, desenvolvemos.

É importante ter em mente o que acredito? Quais sãoas crenças que tive esse ano que me ajudaram, atrapalharam? Fui solidário?Estendi a mão quando precisaram ou virei as costas para os outros? Dentro deminha família fiz alguma coisa para que ela tivesse o valor que merece? Me fizmerecer por aquela família, dei valor a ela, fiz ela se merecer?

É importante ter isso em mente, sobre as crençasque temos.

Quando fazemos uma retrospectiva, como é a propostado trabalho de hoje, é importante, mas vendo qual foi meu papel dentro dissotudo.

Será que fiz realmente? Fui em frente ou falhei?

Falamos sobre solidariedade, família, crença, fé.

O que é fé?

A fé é maior do que a crença, está ligada aosprincípios básicos de nosso espírito e alma, é aquela que nos move, faz com queacreditemos que existe algo além de uma existência branda, inútil.

Sabemos que temos um legado a deixar e outro querecebemos, é aquilo que aprendemos e repassamos.

Então é importante ter em mente, ter essa fé, queexiste algo maior que isso que estamos vivendo e que devemos trabalhar porisso, que existe alguém que nos acolherá um dia, que não estamos abandonados, ouque seria um absurdo imaginarmos que tudo que fazemos aqui, construímos nessavida, são coisas sem valor, prestígio, possibilidade.

Educação foi um outro ponto muito importante dentrode tudo o que falamos.

Educação

Tivemos muitos problemas esse ano com a parte deeducação.

Falamos muito sobre conflitos, ideias, Enem, tudoaquilo que faz parte do projeto que temos dentro da estrutura de nossos filhos,do futuro da construção desse futuro.

Quando falamos de educação, falamos sobre sistemaeducacional, sobre as instituições que trabalham, projetam a forma de ensinar eeducar nossos filhos, a maneira como devem se portar, como são criados alidentro, porque vivem muito tempo dentro da escola e ali espaços que temos devalorizar, o próprio espaço físico, os professores que sofrem tanto, sãodiscriminados, tem uma série de problemas e temos de compreender como tudo issoacontece.

Porque é tão depreciado, o professor, em nossopaís? Qual a razão disso tudo? Porque há tão pouco investimento dentro da áreade educação, sendo que é tão importante para o crescimento de um país?

Quando trabalha com educação desenvolve um sensocrítico e isso incomoda, porque impede que os projetos continuem. A pessoamuito bem-intencionada tem projetos positivos, só que dentro de uma estruturademocrática temos de aceitar coisas ruins e quando tem boas intenções não queraceitar coisas ruins e, em uma dessas você se perverte.

Vimos isso acontecendo com nossos governos, em estados,no país, em todos os lugares. Perversão completa de um pensamento, uma ideia,muitas vezes motivado por questões financeiras, econômicas, em que se abandonao princípio verdadeiro (aquele que deu a base para o surgimento de determinadasrelações).

Vemos essa estrutura sendo abandonada e pior do quetudo isso, vemos o povo, de repente, virando as costas para a própriademocracia, então isso faz parte de um processo de educação.

Temos de saber que a formação de nosso povo, denossa educação de uma maneira geral, tem de atender aos princípios básicos danação, mas também tem de ser observadas pelos governos como fonte dedesenvolvimento futuro e não como problemas que possam gerar críticas nopresente, pedindo que sejam realizados projetos importantes. Tenho projetos,mas quero realiza-los imediatamente e muitas vezes a democracia se torna umempecilho para isso, as pessoas começam a fazer escolhas erradas.

A questão é que tudo tem o seu tempo e nós, com aeducação, o desenvolvimento das escolas, um melhor trabalho dos professores,investimento nos professores, é que veremos as consciências crescerem e não coma imposição de um outro que acredita o que é educação.

Preconceito e Segregação

Falamos muito nesse ano e vimos muitas coisasrelativas a preconceito e segregação.

Foi um ano em que muita coisa surgiu, tantonegativa quanto positiva.

Vimos ataques, discriminações, principalmentesexuais, a um liberalismo sexual que é algo importante que seja respeitado, oespaço que aconteceu.

Nos últimos anos estamos vendo o espaço sendodisponibilizado para manifestações, que muitos não consideram normal, mas cujasafinidades, muitas vezes porque não são compreendidas por alguns devem serrejeitadas e vimos muita rejeição, algumas posturas e vimos também muitaperversão daqueles que defendem uma postura liberal de sexualidade, semostrando de maneira negativa, – problemas novamente de educação – vimos ali,em manifestações nas ruas, as pessoas intencionalmente tentando chocar osoutros. Quando tenta chocar os outros, pode até fazer isso para que o percebam,só que deve aceitar e se você choca para repudiá-las, cria problemas.

Então vejam que em todas as áreas temos muito aindaque aprender. É importante estar com os olhos abertos vendo as coisas que estãoacontecendo e procurar o melhor.

Existe um lema que sempre defendo, acredito muitonele que é: Viemos aqui para sermos felizes, temos que buscar nossa felicidade.

Não são os outros que determinam qual é o meu nívelde felicidade. Existem pessoas que são felizes com muito menos daquilo quetenho e já são realizadas, que gostaria de ter menos do que tenho e muitos quetendo o que tenho ou mais, não são felizes.

Então é muito relativo, precisamos aprender a lidarcom a relação ligada a felicidade de busca, de viver, agradecer todos os diasaquilo que temos, sabermos reconhecer esse dom e sermos felizes.

Sou feliz, hoje, com o que tenho, pretendo buscarmais coisas amanhã, mas não esqueço da felicidade que vivo hoje, que já vivi ede tudo que ainda posso viver.

Então são pontos importante que se juntam comqualquer tema.

Quando falamos de preconceito, sobre segregaçãoreligiosa que gera conflitos no mundo inteiro, são estruturas que falamos edevemos refletir todos os dias, porque são escolhas, é o mesmo processodemocrático, a mesma estrutura. Todos devem, presentes, estar ali no dia a diade todos, ou seja, temos de estar juntos convivendo com as pessoas em toda suadiversidade.

Ninguém pergunta quando conhece alguém qual areligião dele, sua naturalidade, seu status financeiro, porque tem interessenessa relação.

Quando conhecemos as pessoas, as conhecemos dentrode nosso relacionamento. Conhecer a pessoa para poder conviver com ela e issoacontece é na própria convivência, não existe um currículo de convivência.Existem pessoas que amamos, conhecemos a vida inteira, com quem nosrelacionamos muito bem e que, não necessariamente, elas têm de cruzar todas asafinidades com as nossas.

Dentro de nossa casa isso não acontece. É muitocomum ver conflitos entre pais e filhos pela própria geração, conflitos degerações, crenças, ideias, posições políticas que são diferentes, divergentes,que mesmo assim precisam coexistir. Não existe como fugir disso tudo.

Responsabilidade Social

Falamos muito sobre responsabilidade social.

É um absurdo que dentro de nosso país, nossasempresas, ainda haja um pensamento muitas vezes ligado ao lucro exclusivo, sempensar na referência ligada ao amanhã.

Isso acaba gerando empresas fadadas à falência, quenão terão aceitação no mercado.

É muito comum que outras empresas apenas aceitem ofornecimento de mão de obra, matéria prima de uma outra agregada, se cumpriremalgumas exigências ligadas a sustentabilidade, preservação do meio ambiente,valorização do seu trabalhador, porque são coisas que refletem diretamente naqualidade de vida e, automaticamente, na qualidade dos produtos. Temos quepensar que produzimos em conjunto para todos terem uma vida melhor.

Se não ofereço algo bom para as pessoas, como possoesperar alguma coisa boa para mim?

Esse conceito de exploração único e absoluto émuito antigo, não satisfaz mais. Hoje, temos de atender às expectativas domundo, assim como ele deve atender às nossas.

Então responsabilidade social significa olhar tudoque está acontecendo à nossa volta e saber que temos participação naquilo. Senão tivermos uma participação ativa, temos de passar a ter, porque tem muitagente que coloca toda a culpa na sociedade e se isenta da participação. Façasua parte, é simples.

Quem dera fosse eu que estivesse falando isso comonovidade, mas se cada um fizer sua parte, honestidade, integridade, dedicação,não se deixar vencer pelo vírus da corrupção, da vantagem, de querer tirar vantagemem tudo.

Se fizer justiça dentro daquilo que é seu,respeitando o que lhe pertence, atendendo apenas aquilo que é de suanecessidade, sem querer tirar proveito dos outros, sendo honesto, terá uma vidamais feliz, com certeza, porque sabe que é um homem de bem e é importante seolhar no espelho e se reconhecer como tal e não se desculpar pura esimplesmente.

Deve-se perdoar por tudo aquilo que fez de errado,mas deve mudar, reconhecer e ser feliz quando a mudança é positiva. Devemosprocurar mudar para melhor sempre, o tempo inteiro e com responsabilidade.

Saúde é uma preocupação muito grande.

A Saúde

De que adianta falarmos sobre um milhão de coisas edescuidarmos do bem que nos foi dado, nosso legado divino que é nossa vida,saúde?

Temos de cuidar de nossa saúde e é difícil. Existempessoas que têm muita dificuldade, – não vou dizer que sou aquele que temfacilidade, tenho que fazer minha culpa – porque somos relapsos conosco.

Dormimos menos que devemos, nos alimentamos mal,somos ociosos fisicamente, negligentes, não fazemos uma ginástica, evitamosqualquer tipo de esforço físico usando como desculpa os afazeres do dia a dia,sendo que chegará uma hora em que não servirá mais como desculpa, a hora quetiver travado, não conseguir caminhar, ficar doente, aí sim perceberemos comoas coisas poderiam ter sido diferentes se tivéssemos cuidados mais de nossasaúde.

Faça uma caminhada no final da tarde, acorde maiscedo, procure um período que possa andar pelo bairro, vá conhecê-lo. Essa é umadas atividades que mais tenho prazer e que faço com minha esposa, que écaminhar, porque a caminhada, ao mesmo tempo em que podemos andar e conversar,observamos, conhecemos, vemos as pessoas de nosso bairro.

Temos a vantagem de estar em um bairro tranquiloque nos permite caminhar durante o dia. Lógico que todo lugar, hoje em dia, éperigoso, mas indo de manhã cedinho quando as pessoas estão indo trabalhar,muitas vezes antes, até mesmo antes desse horário, – porque às vezes vamostrabalhar um pouco mais tarde – temos essa possibilidade ou o contrário, comoacontece quando temos muito trabalho bem cedo, que procuramos um parque ànoite, um lugar já com maior segurança em que podemos fazer nossa caminhada,mas isso acaba se tornando algo importante, revigora, revitaliza e precisa.

É preciso que se observe e observe o mundo em queestá.

Outro ponto interessante que falamos. Querotrabalhar com vocês essa primeira parte dessa retrospectiva falando sobrealguns pontos, não pretendo falar de todos. Estou tentando trazer alguns aqui,para que possamos dar continuidade a isso em um outro momento.

Cidadania

Cidadania é uma perspectiva que cada um tem de ter,saber qual é seu papel, de sua importância, ter consciência de seu papel nessemundo, que tudo aquilo que está fazendo tem importância se foram feitos por umbem comum, o bem de todos, são responsabilidades.

É não jogar um papel na rua, desperdiçar água em ummomento de crise como esse que estamos passando, cuidar de seu automóvel paraque não polua, reciclar o lixo, já que existe muito disso daí.

Existe um programa de reciclagem de lixo ali no seubairro. Separe o lixo, aquele perecível, descartável do reciclável, já queexiste muita gente que sobrevive desse lixo reciclável. Então é você tendo ocuidado separando, ajudando o próprio meio ambiente.

A mesma coisa – já falamos no programa e vou falarnovamente – que chega, agora, que é o momento de verão.

Existe um problema muito grande, sério, com todosnós, que é a questão do mosquito da dengue, o aedes aegypti, que agora trazjunto consigo o Zika vírus que traz um problema maior, principalmente para asmulheres que estão grávidas, já que isso pode gerar a microcefalia, ou seja,uma deteorização dentro da geração do feto que está dentro do útero da mãe.

Então isso é muito sério e é preciso tampar vasos,não deixar água acumulada.

Às vezes as pessoas se incomodam, porque osrepresentantes da vigilância sanitária vão até nossa casa e ficam dizendo,mostrando-nos as coisas erradas. Não pode fazer isso, é importante que tenhamosconsciência daquilo que é devido e necessário para nós.

Minha gente, esses foram alguns pontos que quistrazer para vocês hoje. Espero que todos façam uma reflexão comigo, que cada umreflita sobre tudo aquilo que aconteceu neste ano, com o que fez de bom, aquiloque produziu, os erros que podem ser transformados.

Esse é um momento importante, o novo ano vemchegando, é um momento sagrado, porque criamos em nós a esperança de um novodia, a esperança de que algo novo possa acontecer, que as esperanças serenovam, o mundo volte a ser melhor, mais uma chance nos é dada. É importanteaproveitarmos as chances e oportunidades que vem para nós.

Então desejo para todos vocês um grande, feliz epróspero 2016.

Muita alegria, muitos projetos, muita força,coragem, para poder realizá-lo, o espírito de ação bastante próspero para quepossa prosperar.

Quando falo de um espírito próspero, é um espíritoque cresça e busque cada vez o melhor para si e para todos, que semprevislumbre a luz que existe e vá em direção a ela sem ficar vivendo de passados,como se fosse a solução, mas respeitando toda a sua história.

Sempre procure fazer isso. Reflita sobre o passadoe projete seu futuro.

Um ótimo 2016 a todos vocês, ouvintes da Mundial,ao meu amigo e companheiro Sulivan, Evaldo Ribeiro.

Minha gente, até nosso próximo encontro e um grandeabraço a todos vocês. Até mais.

♪ [tema acertar é humano] ♪

Você ouviu pela Mundial o Programa Acertar é Humano. Apresentação Sulivan França e Nélson Sartori. Uma produção da Sociedade Latino-Americana de Coaching, a elite do coaching no Brasil.

Outros Podcasts

017 - Programa Acertar é Humano: de 12/06/2014

#017

No Programa Acertar é Humano do Dia dos Namorados os apresentadores Sulivan França e Nélson Sartori discutem o tema "Relacionamentos". Qual o significado do namoro para a geração de hoje? O que são os relacionamentos superficiais? Como os pais tratam as relações dos seus filhos? Para finalizar o programa o master coach Sulivan França deixa uma reflexão que envolve o Dia dos Namorados e o início Copa do Mundo!

016 - Programa Acertar é Humano: de 05/06/2014

#016

No primeiro programa do mês de junho os apresentadores do Programa Acertar é Humano falaram sobre o tema "Marketing Pessoal e os Níveis de Linguagem", a importância da apresentação da pessoa como profissional. Na "Dica do Professor" Nélson Sartori tirou uma dúvida de um ouvinte e o tema foi o uso "de encontro a/ao encontro de". E no "Minuto de Coaching" o master coach Sulivan França deixou perguntas para a reflexão do ouvinte.

015 - Programa Acertar é Humano: de 29/05/2014

#015

No Programa Acertar é Humano do dia 29/05, o professor Nélson Sartori abordou o tema "Contexto", e como esse conjunto de circunstâncias é interpretado pelas pessoas. Conheça o contexto da verdadeira história de "Chapeuzinho Vermelho". E na "Dica do Professor" Nélson Sartori falou sobre o cuidade que se deve ter ao usar o pronome "seu". E para finalizar o professor deixa a pergunta do "Minuto do Coaching" para o ouvinte refletir.

014 - Programa Acertar é Humano: de 22/05/2014

#014

No dia 22/05, Sulivan Fança e Nélson Sartori falaram sobre "Valores". Quais são os valores da sua vida? O que norteia as suas atitudes? Os valores estão ligados diretamente com as ações e metas da pessoa presentes no dia a dia de cada um. Como você trabalha seus valores hoje? Na "Dica do Professor" Nélson Sartori abordou o uso correto das aspas. E, para finalizar o programa o master coach Sulivan França lança perguntas para reflexão.

013 - Programa Acertar é Humano: de 15/05/2014

#013

Os locutores do Programa Acertar é Humano abordaram no dia de 15/05 um assunto polêmico que é a "Reforma Ortográfica", o que é, o que representa para a nossa língua e o impacto dessa mudança no dia a dia do brasileiro. Na "Dica do Professor" Nélson Sartori falou sobre o uso do verbo pisar. E no final do programa Sulivan França deixa duas perguntas para o ouvinte refletir durante a semana.

012 - Programa Acertar é Humano: de 08/05/2014

#012

Na quinta-feira, 08/05, o tema que foi abordado pelo Programa Acertar é Humano faz parte de um importante exercício realizado dentro de um processo de coaching "Crenças e valores". Essa questão pode ter tanto impacto positivo na vida de uma pessoa, auxiliando na busca de um objetivo, quanto negativo, impulsionando para o lado oposto e destruindo perspectivas, seja na área pessoal ou profissional. Durante a abordagem do tema os locutores Sulivan França e Nelson Sartori fizeram um exercício de reflexão sobre crenças que podem gerar um estado negativo boicotando o alcance de uma meta. Na segunda parte do programa, na "Dica do Professor", Nélson Sartori falou sobre a diferença entre "se não" e "senão". E para finalizar, no "Minuto do Coaching" o master coach Sulivan França deixou uma reflexão sobre crenças para os ouvintes.

011 - Programa Acertar é Humano: de 01/05/2014

#011

No programa do dia 1º de maio os apresentadores Sulivan França e Nélson Sartori abordaram um tema relacionado ao Dia do Trabalhador,"A relação dentro do ambiente de trabalho e o poder da persuasão". Dentro desse tema foi discutido o papel e a competência do líder na harmonização do ambiente e a habilidade de conviver com as pessoas de forma carismática. Na "Dica do Professor" Nélson Sartori falou sobre "O uso correto do 'há' com H". E no fim do programa o master coach, Sulivan França, deixou uma pergunta desafiadora para o ouvinte.

010 - Programa Acertar é Humano: de 24/04/2014

#010

No Programa Acertar é Humano de 24/04, os apresentadores Sulivan França e Nélson Sartori abordaram o tema "Relações Interpessoais", e a importância de nos relacionarmos bem com as pessoas do meio em que vivemos. A questão da autoestima e da simplicidade ao nos comunicarmos também foram citadas. Na "Dica do Professor", Nélson Sartori falou sobre a "Lógica da Linguagem". E para finalizar, o Master Coach Sulivan França, lançou uma reflexão para os ouvintes no "Minuto do Coaching".

009 - Programa Acertar é Humano: de 17/04/2014

#009

O Programa Acertar é Humano do dia 17/04, faz um alerta sobre o que é e o que não é um processo de coaching. O Master Coach, Sulivan França, dá cinco dicas que ajudam a identificar quando o coach (profissional que aplica o coaching) é ou não um verdadeiro profissional da área. Esse tema discute um assunto importante, sendo que, hoje no Brasil, devido ao crescimento desse mercado, muitos se passam por profissionais de coaching, quando na verdade, não têm nenhuma formação para tal atividade. Outro alerta é sobre as instituições que oferecem curso de formação em coaching, com instrutores que não têm nenhuma ou pouca experiência na área e, muitas vezes, oferecem metodologia abusiva. Na "Dica do Professor", Nélson Sartori, fala sobre "A lógica da estrutura da escrita de algumas palavras". Para finalizar, no "Minuto do Coaching", Sulivan França, deixa uma reflexão para os ouvintes.

008 - Programa Acertar é Humano: de 10/04/2014

#008

O programa terminou com o Master Coach Sulivan França utilizando duas perguntas poderosas sobre o poder das palavras na mobilização positiva de sua programação de vida.

007 - Programa Acertar é Humano: de 03/04/2014

#007

No Programa do dia 03/04, os apresentadores Sulivan França e Nélson Sartori abordaram um tema considerado polêmico, "Como entender as necessidades futuras do país com profissionais qualificados". Durante o debate também foi discutido a questão da educação e o processo de desenvolvimento do aluno. Na "Dica do Professor", Nélson Sartori, falou sobre "Lógica do Raciocínio" na forma de expressão da Língua Portuguesa. E o Master Coach, Sulivan França, lançou para os ouvintes, como tema do Minuto do Coaching, uma reflexão sobre a educação.

006 - Programa Acertar é Humano: de 27/03/2014

#006

No programa do dia 27/03, Sulivan França e Nélson Sartori falaram sobre “Os 5 sinais de que o empreendedor não sabe delegar tarefas”. Os apresentadores comentaram como isso pode afetar os resultados das organizações. Em seguida, o professor Nélson Sartori falou sobre a concordância gramatical, na “Dica do Professor”. E, para finalizar, no “Minuto do coaching”, o Master Coach Sulivan França deixa a pergunta da semana para o líder empreendedor refletir.

005 - Programa Acertar é Humano: de 20/03/2014

#005

No programa do dia 20/03 Sulivan França e Nélson Sartori falaram sobre os 5 erros que profissionais geniais podem cometer no trabalho. Apesar da genialidade existem situações em que o profissional deve ficar atento perante o ambiente corporativo. Nélson Sartori também dá a “Dica do Professor” falando sobre as diferenças entre o “há” e o “a”. Para finalizar o Master Coach Sulivan França lança perguntas no Minuto do Coaching.

004 - Programa Acertar é Humano: de 13/03/2014

#004

Neste programa foi abordado o tema sobre as gerações: baby boomers,Y, X e Z e os diferentes comportamentos de cada uma dessas gerações. Sulivan França e Nélson Sartori ainda comentam o relacionamento entre as pessoas de diferentes gerações dentro do contexto corporativo e no relacionamento entre pais e filhos. No momento “Dica do Professor” Nélson Sartori fala sobre o cuidado ao usar a palavra “onde”. E por fim, o Master Coch Sulivan França lança no Minuto do Coaching uma questão para reflexão.

003 - Programa Acertar é Humano: de 06/03/2014

#003

No programa do dia 06/03 Sulivan França e Nélson Sartori falaram sobre o universo da Comunicação Empresarial no ambiente corporativo e sobre a importância do domínio da Língua Portuguesa para o sucesso das relações pessoais e comerciais. O Professor Nélson Sartori ilustrou os problemas com a Língua portuguesa com a sua tradicional charge no momento da dica do professor e o Master Coach Sulivan França lançou mais uma vez seu desafio com questões poderosas no Minuto do Coaching.

002 - Programa Acertar é Humano: de 27/02/2014

#002

Nesse programa, Sulivan França e Nélson Sartori abordam a questão sobre o conceito de o que é e o que não é coaching. São mostrados os 3 pilares básicos desse trabalho e além de ilustrações das diferentes formas de atuação do profissional do coachig.

001 - Programa Acertar é Humano: de 20/02/2014

#001

No momento da dica do professor, foi apresentada a questão do comum no uso equivocado da preposição “para”. O programa terminou com a proposta ao ouvinte de duas questões de avaliação pessoal dentro da dinâmica do “life coaching”.

Programa Foco e Gestão com Sulivan França

De segunda a sexta
9:00 - 18:00

+55 (11) 3670-1770

info@slacoaching.org

Av. Francisco Matarazzo
1400 - SP

Sociedade Latino Americana de Coaching

+55 (11) 3670-1770
info@slacoaching.org

São Paulo - Brasil
Centro de Treinamento
Av. Francisco Matarazzo, 1.350
Água Branca - Cep: 05001-100
São Paulo - Brasil
Sede Administrativa
Av. Francisco Matarazzo, 1.400
Água Branca - Cep: 05001-100
CNPJ: 15.229.739/0001-47
Santiago - Chile
Oficina
Suecia 42, Oficina 02
Teléfono: +56 2 2632 5042
Lima - Peru
Oficina
Plaza Ricardo Palma 107 - San Borja
Teléfono: +51 980 037 494
Cartagena - Colômbia
Oficina
Cr 3 6A Esq. Ed. Jasban 407 - B/Grande
Teléfono: +57 5 655 03 01

Conteúdo Registrado ®
Todos os Direitos Reservados
Cópia Proibida.