PROGRAMA ACERTAR É HUMANO

#054

“Dicas para o sucesso de um homem, segundo Bill Gates.” Esse foi o tema discutido no Programa Acertar é Humano de 30/04. Nélson Sartori comentou um reportagem em que Bill Gates fala sobre algumas regras para alcançar o sucesso.

054 - Programa Acertar é Humano: de 30/04/2015

Programa Acertar é Humano (30/04/2015)

Nélson Sartori e Sulivan França

Tempo de áudio
25 minutos e 32 segundos
Legenda
... ➔ pausa ou interrupção do discurso
[...] ➔ palavra/trecho incompreensível
[comentário] ➔ comentários do transcritor

♪ [tema acertar é humano] ♪

Começa agora na Mundial Acertar é Humano, um programa que apresenta crônicas com humor e foco na solução, sempre falando de temas diversos como empreendedorismo, liderança, esporte, atualidades, comunicação entre outros. Tudo isso seguindo a filosofia do coaching.

Programa Acertar é Humano, uma produção da Sociedade Latino-Americana de Coaching, a elite do coaching no Brasil. Apresentação Sulivan França e Nélson Sartori.

[NÉLSON] Bom dia, ouvintes. Aqui é o professor Nélson Sartori, desejando a vocês uma bela quinta-feira. Mais uma vez mono. Hoje é monorrádio. O estéreo não veio hoje.

Mais uma vez o meu companheiro de rádio, Sulivan França, está em suas peregrinações missionárias pelo coaching brasileiro. Está realizando suas palestras, então ele não pode estar aqui conosco hoje. Então nós vamos tentando fazer aqui a metade do que seria possível.

Hoje eu trouxe aqui uma reportagem que o Bill Gates deu, falando sobre dicas para o sucesso de um homem. O que uma pessoa precisa para ter sucesso, isso segundo a visão dele, é lógico. É importante que tenhamos sempre um filtro, já que se trata de uma visão pessoal, mas vejam bem, é uma visão respeitável.

É importante termos em mente que os grandes homens tiverem oportunidades, que talvez você não tenha, mas a maioria deles soube aproveitar oportunidades que outros não sabem. As oportunidades nos aparecem também, o difícil é o risco. Isso daí nós já falamos em outros programas. Correr riscos é importante. Não é uma vida inteira. Há coisas que você precisa saber onde colocar o pé. Há momentos em que você tem necessidade de segurança. Então não são riscos a vida inteira, mas se você procura em algum momento se destacar, vai ter de correr riscos.

Então eu trouxe dez pontos importantes que ele falou. Eu acho importante ouvirmos aqueles que tiveram experiências de sucesso, para que nós possamos ter nosso referencial. São frases que tentaremos analisar para ver se servem para nós.

DICAS DE SUCESSO

A primeira regra ele diz o seguinte: “A vida não é fácil, acostume-se com isso”. É importante avaliar em que sentido ela não é fácil, porque quando nós falamos que o Bill Gates diz que a vida não é fácil, imagina para os outros. Tem que haver um filtro. Ela não é fácil a partir do momento que as coisas não caem do céu.

Essa época da nossa existência o trabalho é a grande realização do homem. Ele tem de acordar cedo, ele tem de suar a testa se ele quiser conseguir alguma coisa. Aquele que recebe tudo de mão beijada não tem competência para administrar, ele vai ter de buscar a sua competência.

A competência não nasce com você. Você tem de programa-la, você tem de estudar, se preparar para poder ter esse tipo de competência. Então nesse sentido você tem de se movimentar. Quando ele fala que a vida não é fácil e você tem de se acostumar é porque as coisas não virão facilmente. Ninguém vai ficar oferecendo o tempo inteiro a você tudo aquilo que você precisa. Nós não seremos eternamente filhos de pais dedicados. A vida é mãe, mas é uma mãe que educa muitos filhos e nem sempre é possível agradar a todos. De vez em quando uma palmadinha todo mundo leva e a vida não cansa de dar palmada em nós.

É importante você aprender que o dia a dia de existência é muito mais fácil hoje do que já foi no passado para a humanidade, mas ainda assim as coisas não acontecem sozinhas. Você quer ter uma vida confortável, você vai ter de trabalhar por isso. Você quer ter prestígio, você vai ter de conquistar isso. E esse prestígio não vem só pelos belos olhos, até mesmo porque os belos olhos um dia se embaçam.

Nós queremos reconhecimento pelas realizações. E realização gramaticalmente falando você tem a ação real, uma real ação, é a realização. Você realiza de fato. Então o fato só acontece se você trabalhar. As coisas não vem sozinhas.

Então a primeira regra dele é você avaliar a vida, avaliar o mundo, de uma maneira geral, sabendo que você vai ter de trabalhar, que cada sonho que você tem é na verdade o estopim para que você dê o primeiro passo. O sonho não significa a conquista, o sonho significa a direção. Eu tenho um sonho e eu quero conquistar esse sonho, ele me aponta para tal direção e assim que eu tenho que fazer, caminhar. A reflexão está ligada à caminhada. Disso não se pode desistir.

Segunda regra. “O mundo não está nem um pouco preocupado com a sua autoestima. Ele espera que você faça alguma coisa útil por ele, antes de se sentir bem consigo mesmo”. Às vezes a pessoa está sempre preocupada com ela mesma, eu não sou reconhecido, eu gostaria de ser reconhecido e admirado por todos. O mundo e as pessoas não vão simplesmente abraçar você só porque você está carente o tempo todo. Não que o mundo não faça isso, não que as pessoas não façam isso. Sempre existe um braço amigo para acolher você, agora não pense que isso é vida.

Existem aqueles que precisam de você e na hora da troca você vai ter de fazer a sua parte. Então quando ele diz que você para se sentir bem consigo mesmo, você tem de procurar a ser útil, é porque na verdade é a ação que faz da nossa vida valer a pena, ou seja, se você não faz nada, não faz coisa alguma pelos outros, não faz coisa alguma pelo mundo, o que você espera do mundo, porque ele faria algo com você.

Existem tantos movimentos que nós vemos por aí de ação, de preocupação. Tem pessoas que não estão preocupadas com o mundo em que ele está. Pessoas que não são capazes de gostar de um animal, de um bicho. São coisas simples, mas importantes na sua vida. Você se sente realmente importante quando você também cuida dos outros. Tem gente que espera que o mundo cuide dele. E a outra parte? A continuidade é essa. Eu fui educado pelos meus pais e tenho os meus filhos que merecem e contam com o meu trabalho de educação e eu tenho que prepará-los para os que um dia virão através deles. Então esse trabalho é contínuo, não adianta ficar lamentando.

Não adianta ficar achando que o mundo olhou para você e o esqueceu. As pessoas às vezes transferem todo o seu fracasso como culpa alheia. Então pensa bem nisso. O mundo não está preocupado se você está sofrendo com a sua autoestima. Essa é a visão do Bill Gates, de alguém que teve que abandonar tudo isso. Teve que superar essa ideia. Aquele menino que teve uma ideia poderia ter ficado só nela. Todos nós temos ideias. Agora você ir adiante e transformar isso daí em fato, exige organização, dedicação e foco.

Terceira regra. Essa é interessante porque trabalha com ilusão. Ele diz o seguinte: “Você não ganhará 10 mil por mês assim que sair da escola. Nem será vice-presidente de uma empresa com carro e telefone à disposição antes que tenha suado dia e noite”.

As pessoas acreditam, tem aquele seu sonho e todo mundo se vê bonito. Todo mundo se vê de paletó e gravata, atrás de uma mesa bonita, com prestígio. Todo mundo se vê como o Evaldo. O Evaldo está aqui na minha frente. É um ícone, uma referência de sucesso humano.

Agora vejam só. Quem consegue isso o tempo inteiro? Sem sair de lá da terrinha e vir aqui capinando, sofrendo. Você conquistou o seu sucesso com trabalho. É disso que ele fala. Não pense que você vai sair do seu estado de estagnação e a partir de agora eu quero sucesso. Só deu a partida para muito trabalho.

O importante é entender que nós falamos tanto de trabalho porque é isso que traz a realização. Eu sempre lembro dos meus 18 anos, quando eu quis o meu primeiro carro. A minha família não era uma família com posses a ponto de poder me dar o carro do sonho. Eu sabia disso, por isso quando eu cheguei aos meus 16 anos, que meu sonho começou a se modelar na minha cabeça, eu pensei não adianta nada esperar pelo meu pai, porque ele mata um leão todo dia para poder garantir o trabalho, a manutenção da família dele. Eu já estou buscando minha independência, é hora de eu começar a construí-la. Então não deu outra, vai devagarzinho, juntando um dinheirinho dois anos para dar entrada, não era para comprar, não fique pensando que em 2 anos juntou e comprou o carro, acho que nem hoje dá para fazer isso.

Vou comprar um carro zero. Vou juntar dinheiro dois anos. Dois anos é o que você paga da prestação da outra metadezinha e olhe lá, não é baixo. Mas a realização foi justamente essa. O primeiro carro conquistado e trabalhado. Era pequenininho, velhinho, eu passava o final de semana lavando ele, que era uma beleza. Nem tinha o que lavar. Lavava ferrugem, mas não faz mal, eu lavava mesmo assim, passava uma graxinha, fazia ele funcionar bonitinho. Essa era uma grande realização.

Eu tinha amigos que tiveram oportunidades, não estou criticando absolutamente, que o pai teve condições e deu um carro para eles muito melhor do que o meu. Não era o carro em si, mas era a conquista. Eu havia conquistado, eu havia comprado o meu carro. Eu acordava e falava que importante essa pequena realização. Era uma das minha realizações. Eu estava começando a somar coisas na minha vida. Está certo que roubaram o meu carrinho, era para mostrar que eu tinha condições de comprar outro depois, trabalhando de novo. A vida às vezes rouba da gente as coisas, mas ela dá oportunidade para você conquistar de novo. É para que você não se esqueça que se você conseguiu um, consegue o segundo.

Você pode conseguir muita coisa ou não conseguir coisa alguma. Depende justamente de você acordar cedo e ir trabalhar. Então quando ele fala que você vai ter de suar bastante o tempo inteiro, ele está dando um valor bastante positivo. É o trabalho, a conquista, a realização e não importa se foi aquele tênis, porque também tinha isso quando era pequeno. Juntava dinheiro para comprar um tênis, não dava para ficar pedindo para os pais.

Então tinha que fazer um bico. Vendia pipa na feira, vendia muita pipa na feira. Lavava os carros dos vizinhos. Naquela época podia, não tinha tanta falta d’água. Nós íamos para rua e já tinha até clientela. Chegava sábado, trabalhava das sete ao meio dia. Quando chegava ao final de 2, 3 meses, eu tinha dinheiro para comprar o meu tênis. Foi sempre feito dessa maneira. Não que eu seja um exemplo, eu tive todos os meus fracassos também na vida, mas nós pegamos aquilo que foi positivo.

Essa quatro, eu adorei. Ele diz assim: “Se você acha seu professor rude, espere até ter um chefe. Ele não terá pena de você”. O professor espera algo de você porque ele está dando algo a você. Ele tem uma perspectiva bem diferente, o professor não é o seu padrão. Ele na verdade quer ensinar você. Ele se realiza com a sua conquista e se frustra com o seu fracasso porque o seu fracasso é dele. Ele que não teve também condições, não conseguiu capturar você, não conseguiu te resgatar. Não foi capaz de dar a você o que você precisava ou porque você não queria ou porque ele não foi capaz naquele momento. Então não importa a avaliação, por mais que ele faça, ele se frustra.

O seu chefe, não, minha gente. O seu chefe está trabalhando com você e ele tem uma meta a ser cumprida e você faz parte de tudo aquilo que ele precisa para atingir aquela meta. Ele vai forçá-lo para que aquela meta seja atingida. Afinal de contas você já recebe algo em troca daquilo que você está se despondo. Você buscou o seu sustento em troca de seu trabalho e ele irá exigir que seu trabalho seja muito bem feito. Então não existe essa relação de pena, de dó, de compaixão.

É trabalho, só que vejam a grande diferença, o seu professor dá algo a você, o seu patrão quer algo de você. Muda muito. Às vezes nós temos de reconhecer um pouco dessa questão da hierarquia. Nós falamos isso para os jovens e é importante. Cada coisa ao seu tempo. Também eu acho que exigir que um adolescente tenha a consciência de um adulto é exigir demais. Não está no tempo dele. Às vezes eu via isso dos meus alunos. Eu comentava às vezes, não diretamente a eles, porque também não podia dar essa bandeira, mas eu falava: “É totalmente compreensível, tantos meninos bonitos, tantas meninas bonitas, eles vão ficar olhando para mim. Eles têm que olhar um para o outro”. Iam muitas vezes mal na prova, não tinham o resultado esperado, mas até que eles tinham uma boa justificativa. Para mim, pelo menos servia para eu não me frustrar tanto. Eu falava que estava tentando oferecer o melhor só que melhor do que eu existe muita coisa por aí, principalmente para atenção durante a juventude, durante a adolescência. Está certo que eles tinham de ter um momento para mim também, alguns não queriam saber de mim em momento algum, mas mesmo assim ali nós oferecíamos.

Dentro do trabalho não existe essa relação branda. Dentro do trabalho existe uma relação de compromisso. É justamente por isso que não haverá essa relação de afetividade de pena. Você realiza o trabalho, você é aceito. Você não realiza o trabalho, tchau.

Regra número 5. Essa daqui é uma regra interessante. Ele diz assim: “Fazer bicos ou trabalhar durante as férias não está abaixo de sua posição social”. Seus avós têm uma definição diferente para isso. Tem gente que tem medo de trabalhar além daquilo que está predisposto, que está lá no seu registro. Não, minha gente. Conquista é trabalho. Muitas vezes nós trabalhamos muito mais do que o horário que é devido. Você sai do trabalho, vai para casa e continua trabalhando.

Regra número 6. “Se você fracassar não é culpa de seus pais”. Então não lamente pelos erros deles. Tem muita gente que diz não ter oportunidades porque os pais era pobres, eram isso, eram aquilo. Muita gente teve pai pobre e foi atrás do seu próprio mundo. Foi atrás da sua própria conquista, do seu próprio sonho. Ao invés de ter neles a desculpa do seu fracasso, aprenda com eles. Se eles cometeram erros, aprenda com esses erros e dê a volta por cima.

Essa daqui eu acho ótima. “Televisão não é vida real”. Na realidade as pessoas não vivem em barzinhos, boates, porque eles precisam trabalhar. Você pega novela de televisão, ninguém trabalha. Eu acho incrível. Sempre comentei uma coisa, não isso, não estou plagiando o Bill Gates, mas uma coisa que eu achava interessante era que todo mundo acordava de manhã e tinha um tempo para tomar café da manhã. As pessoas na televisão acordam, não importa a condição social, eles se sentam a mesa, todos em família, juntos, eles comem fruta, tomam café. Eu acho que eu sou meio gauche na vida, eu sou torto.

Eu sempre acordo correndo, em horário diferente dos outros, é aquele pãozinho ou se tiver na geladeira ou então ele está murcho, porque é do dia anterior. Quando dá tempo de ir à padaria tudo bem. Então a vida real é bem diferente. Garanto que os artistas de televisão têm a mesma vida que nós. Tem gente que acha que gravar um filme, gravar uma novela, é fácil. Eu falo isso daí porque hoje em dia eu trabalho muito com a gravação de aulas. E às vezes você fica dentro de estúdio seis horas. Parece uma eternidade, minha gente. É uma solidão. Parece que é rapidinho. Você fica seis horas, não fique pensando que você gravou seis horas, aquelas seis horas foi para sair meia horinha.

A vida real é outra coisa, mesmo para aqueles que você vê ali. Aquela moça bonita da televisão, para continuar bonita vai ter que malhar muito. Então as coisas não vêm fáceis de maneira nenhuma.

Número 8. “Sua escola pode ter eliminado a distinção entre vencedores e perdedores, mas a vida não é assim”. Em algumas escolas você não repete mais de ano e tem quantas chances precisar até acertar. Isso não se parece absolutamente nada com a vida real. Se pisar na bola, está despedido. Portanto faça certo da primeira vez.

É bem radical o que ele falou. Ele está fazendo uma comparação entre dois momentos. O momento do aprendizado e o momento do trabalho, de assumir a posição na vida. Tem de realmente saber o que é uma coisa e o que é outra em cada momento. São momentos diferentes de responsabilidade.

A nona. “A vida não é dividida em semestres”. Nem sempre você tira férias e é pouco provável que outros empregados o ajudem a cumprir suas tarefas no fim de cada período. A vida não tem férias. Ela começa e vai em frente. É o tempo todo.

E a última. “Seja legal com os CDFs”. CDF eu não vou traduzir para nós. Todo mundo sabe o que é. Aqueles estudantes que os demais julgam serem os babacas. Ele falou assim: “Existe uma grande possibilidade de você vir a trabalhar para um deles um dia”. Essa é a história do próprio Bill Gates que era um desses nerds, como se chama também, e visto lá o bobão, que hoje é uma das grandes fortunas do mundo.

Nós vimos um pouquinho da fala de alguém de prestígio e sucesso que teve conquista e por mais que não seja unânime e absoluta a visão dele, muito de tudo isso que ele tem a falar serve para que nós possamos refletir. E é em cima disso, de carreira, de reflexão e de meta na vida que nós nos programamos o tempo inteiro.

Foi esse o nosso recadinho de hoje. Para vocês, o nosso trabalho com as dicas do Bill Gates. Nos vemos novamente na próxima semana. Todos juntos aqui e se possível, com o nosso amigo Sulivan França.

Um abraço a todos. Até mais.

♪ [tema acertar é humano] ♪

Você ouviu pela Mundial o Programa Acertar é Humano. Apresentação Sulivan França e Nélson Sartori. Uma produção da Sociedade Latino-Americana de Coaching, a elite do coaching no Brasil.

Outros Podcasts

017 - Programa Acertar é Humano: de 12/06/2014

#017

No Programa Acertar é Humano do Dia dos Namorados os apresentadores Sulivan França e Nélson Sartori discutem o tema "Relacionamentos". Qual o significado do namoro para a geração de hoje? O que são os relacionamentos superficiais? Como os pais tratam as relações dos seus filhos? Para finalizar o programa o master coach Sulivan França deixa uma reflexão que envolve o Dia dos Namorados e o início Copa do Mundo!

016 - Programa Acertar é Humano: de 05/06/2014

#016

No primeiro programa do mês de junho os apresentadores do Programa Acertar é Humano falaram sobre o tema "Marketing Pessoal e os Níveis de Linguagem", a importância da apresentação da pessoa como profissional. Na "Dica do Professor" Nélson Sartori tirou uma dúvida de um ouvinte e o tema foi o uso "de encontro a/ao encontro de". E no "Minuto de Coaching" o master coach Sulivan França deixou perguntas para a reflexão do ouvinte.

015 - Programa Acertar é Humano: de 29/05/2014

#015

No Programa Acertar é Humano do dia 29/05, o professor Nélson Sartori abordou o tema "Contexto", e como esse conjunto de circunstâncias é interpretado pelas pessoas. Conheça o contexto da verdadeira história de "Chapeuzinho Vermelho". E na "Dica do Professor" Nélson Sartori falou sobre o cuidade que se deve ter ao usar o pronome "seu". E para finalizar o professor deixa a pergunta do "Minuto do Coaching" para o ouvinte refletir.

014 - Programa Acertar é Humano: de 22/05/2014

#014

No dia 22/05, Sulivan Fança e Nélson Sartori falaram sobre "Valores". Quais são os valores da sua vida? O que norteia as suas atitudes? Os valores estão ligados diretamente com as ações e metas da pessoa presentes no dia a dia de cada um. Como você trabalha seus valores hoje? Na "Dica do Professor" Nélson Sartori abordou o uso correto das aspas. E, para finalizar o programa o master coach Sulivan França lança perguntas para reflexão.

013 - Programa Acertar é Humano: de 15/05/2014

#013

Os locutores do Programa Acertar é Humano abordaram no dia de 15/05 um assunto polêmico que é a "Reforma Ortográfica", o que é, o que representa para a nossa língua e o impacto dessa mudança no dia a dia do brasileiro. Na "Dica do Professor" Nélson Sartori falou sobre o uso do verbo pisar. E no final do programa Sulivan França deixa duas perguntas para o ouvinte refletir durante a semana.

012 - Programa Acertar é Humano: de 08/05/2014

#012

Na quinta-feira, 08/05, o tema que foi abordado pelo Programa Acertar é Humano faz parte de um importante exercício realizado dentro de um processo de coaching "Crenças e valores". Essa questão pode ter tanto impacto positivo na vida de uma pessoa, auxiliando na busca de um objetivo, quanto negativo, impulsionando para o lado oposto e destruindo perspectivas, seja na área pessoal ou profissional. Durante a abordagem do tema os locutores Sulivan França e Nelson Sartori fizeram um exercício de reflexão sobre crenças que podem gerar um estado negativo boicotando o alcance de uma meta. Na segunda parte do programa, na "Dica do Professor", Nélson Sartori falou sobre a diferença entre "se não" e "senão". E para finalizar, no "Minuto do Coaching" o master coach Sulivan França deixou uma reflexão sobre crenças para os ouvintes.

011 - Programa Acertar é Humano: de 01/05/2014

#011

No programa do dia 1º de maio os apresentadores Sulivan França e Nélson Sartori abordaram um tema relacionado ao Dia do Trabalhador,"A relação dentro do ambiente de trabalho e o poder da persuasão". Dentro desse tema foi discutido o papel e a competência do líder na harmonização do ambiente e a habilidade de conviver com as pessoas de forma carismática. Na "Dica do Professor" Nélson Sartori falou sobre "O uso correto do 'há' com H". E no fim do programa o master coach, Sulivan França, deixou uma pergunta desafiadora para o ouvinte.

010 - Programa Acertar é Humano: de 24/04/2014

#010

No Programa Acertar é Humano de 24/04, os apresentadores Sulivan França e Nélson Sartori abordaram o tema "Relações Interpessoais", e a importância de nos relacionarmos bem com as pessoas do meio em que vivemos. A questão da autoestima e da simplicidade ao nos comunicarmos também foram citadas. Na "Dica do Professor", Nélson Sartori falou sobre a "Lógica da Linguagem". E para finalizar, o Master Coach Sulivan França, lançou uma reflexão para os ouvintes no "Minuto do Coaching".

009 - Programa Acertar é Humano: de 17/04/2014

#009

O Programa Acertar é Humano do dia 17/04, faz um alerta sobre o que é e o que não é um processo de coaching. O Master Coach, Sulivan França, dá cinco dicas que ajudam a identificar quando o coach (profissional que aplica o coaching) é ou não um verdadeiro profissional da área. Esse tema discute um assunto importante, sendo que, hoje no Brasil, devido ao crescimento desse mercado, muitos se passam por profissionais de coaching, quando na verdade, não têm nenhuma formação para tal atividade. Outro alerta é sobre as instituições que oferecem curso de formação em coaching, com instrutores que não têm nenhuma ou pouca experiência na área e, muitas vezes, oferecem metodologia abusiva. Na "Dica do Professor", Nélson Sartori, fala sobre "A lógica da estrutura da escrita de algumas palavras". Para finalizar, no "Minuto do Coaching", Sulivan França, deixa uma reflexão para os ouvintes.

008 - Programa Acertar é Humano: de 10/04/2014

#008

O programa terminou com o Master Coach Sulivan França utilizando duas perguntas poderosas sobre o poder das palavras na mobilização positiva de sua programação de vida.

007 - Programa Acertar é Humano: de 03/04/2014

#007

No Programa do dia 03/04, os apresentadores Sulivan França e Nélson Sartori abordaram um tema considerado polêmico, "Como entender as necessidades futuras do país com profissionais qualificados". Durante o debate também foi discutido a questão da educação e o processo de desenvolvimento do aluno. Na "Dica do Professor", Nélson Sartori, falou sobre "Lógica do Raciocínio" na forma de expressão da Língua Portuguesa. E o Master Coach, Sulivan França, lançou para os ouvintes, como tema do Minuto do Coaching, uma reflexão sobre a educação.

006 - Programa Acertar é Humano: de 27/03/2014

#006

No programa do dia 27/03, Sulivan França e Nélson Sartori falaram sobre “Os 5 sinais de que o empreendedor não sabe delegar tarefas”. Os apresentadores comentaram como isso pode afetar os resultados das organizações. Em seguida, o professor Nélson Sartori falou sobre a concordância gramatical, na “Dica do Professor”. E, para finalizar, no “Minuto do coaching”, o Master Coach Sulivan França deixa a pergunta da semana para o líder empreendedor refletir.

005 - Programa Acertar é Humano: de 20/03/2014

#005

No programa do dia 20/03 Sulivan França e Nélson Sartori falaram sobre os 5 erros que profissionais geniais podem cometer no trabalho. Apesar da genialidade existem situações em que o profissional deve ficar atento perante o ambiente corporativo. Nélson Sartori também dá a “Dica do Professor” falando sobre as diferenças entre o “há” e o “a”. Para finalizar o Master Coach Sulivan França lança perguntas no Minuto do Coaching.

004 - Programa Acertar é Humano: de 13/03/2014

#004

Neste programa foi abordado o tema sobre as gerações: baby boomers,Y, X e Z e os diferentes comportamentos de cada uma dessas gerações. Sulivan França e Nélson Sartori ainda comentam o relacionamento entre as pessoas de diferentes gerações dentro do contexto corporativo e no relacionamento entre pais e filhos. No momento “Dica do Professor” Nélson Sartori fala sobre o cuidado ao usar a palavra “onde”. E por fim, o Master Coch Sulivan França lança no Minuto do Coaching uma questão para reflexão.

003 - Programa Acertar é Humano: de 06/03/2014

#003

No programa do dia 06/03 Sulivan França e Nélson Sartori falaram sobre o universo da Comunicação Empresarial no ambiente corporativo e sobre a importância do domínio da Língua Portuguesa para o sucesso das relações pessoais e comerciais. O Professor Nélson Sartori ilustrou os problemas com a Língua portuguesa com a sua tradicional charge no momento da dica do professor e o Master Coach Sulivan França lançou mais uma vez seu desafio com questões poderosas no Minuto do Coaching.

002 - Programa Acertar é Humano: de 27/02/2014

#002

Nesse programa, Sulivan França e Nélson Sartori abordam a questão sobre o conceito de o que é e o que não é coaching. São mostrados os 3 pilares básicos desse trabalho e além de ilustrações das diferentes formas de atuação do profissional do coachig.

001 - Programa Acertar é Humano: de 20/02/2014

#001

No momento da dica do professor, foi apresentada a questão do comum no uso equivocado da preposição “para”. O programa terminou com a proposta ao ouvinte de duas questões de avaliação pessoal dentro da dinâmica do “life coaching”.

Programa Foco e Gestão com Sulivan França

De segunda a sexta
9:00 - 18:00

+55 (11) 3670-1770

info@slacoaching.org

Av. Francisco Matarazzo
1400 - SP

Sociedade Latino Americana de Coaching

+55 (11) 3670-1770
info@slacoaching.org

São Paulo - Brasil
Centro de Treinamento
Av. Francisco Matarazzo, 1.350
Água Branca - Cep: 05001-100
São Paulo - Brasil
Sede Administrativa
Av. Francisco Matarazzo, 1.400
Água Branca - Cep: 05001-100
CNPJ: 15.229.739/0001-47
Santiago - Chile
Oficina
Suecia 42, Oficina 02
Teléfono: +56 2 2632 5042
Lima - Peru
Oficina
Plaza Ricardo Palma 107 - San Borja
Teléfono: +51 980 037 494
Cartagena - Colômbia
Oficina
Cr 3 6A Esq. Ed. Jasban 407 - B/Grande
Teléfono: +57 5 655 03 01

Conteúdo Registrado ®
Todos os Direitos Reservados
Cópia Proibida.