Você já parou pra pensar o quanto mudou durante sua vida devido ao grupo de pessoas com quem já conviveu? Quais eram os comportamentos que tinha em cada época? O que pensava?

Essas perguntas são bem interessantes, pois com elas conseguimos perceber o quanto mudamos com o passar do tempo e, o principal, quanto nos transformamos devido aos nossos contatos com pessoas mais próximas.

Prova de que esta teoria vem sendo testada há muito tempo, quem nunca ouviu o ditado “Diga-me com que andas e te direi quem és”? Ou, independente de crença ou religião, o trecho da Bíblia que diz “Quem anda com os sábios será sábio; mas o companheiro dos tolos sofre aflição”? Com base nisso, é importante refletir periodicamente: como as pessoas com quem mais convivo estão interferindo no meu modo de ser e agir atualmente? Ao entrar nesta discussão, algumas pessoas se surpreendem em ver como têm pensamentos e ações muito similares as das pessoas que estão mais perto delas – seja positiva ou negativamente.

Quem nunca ouviu alguém dizer que “Eu era mais realizado quando andava com aquele grupo de pessoas”, ou “Ainda bem que parei de andar com aquelas pessoas, elas só me deixavam para baixo”? Mas não importa o grupo que você estava antes, e sim, quais pessoas te deixam mais felizes e próximas de suas metas e objetivos – e aproximar-se cada vez mais delas.

Mas, como afastar-se desses “grupos indesejáveis”? Simples, mudando sua percepção, pois quando você muda sua forma de pensar ou agir, acaba afastando essas pessoas que passarão a não ter mais “nada a ver” com você.

Diante disso, faço duas perguntas para você refletir e que influenciarão diretamente em seu futuro: com quem você convive a maior parte do seu tempo? Essas pessoas estão te ajudando ou te atrapalhando?

Outra alternativa para mudar as influências indesejáveis na sua vida é parar de reclamar! Sabe-se que o sinônimo de queixa, em latim, é a expressão de uma dor, uma pena, ressentimento, inquietação. E por que algumas pessoas se apoiam na reclamação? Pois quando fazem isso, dizem que é para desabafar, para expressar sua indignação, seu direito de não concordar com algum acontecimento.

Tudo bem que todos temos esse direito. Porém, cientificamente, as emoções negativas na forma de reclamações (pessoal ou dos outros próximos a nós) geram sinapses (transmitem informações de uma célula para outra) que fazem com que as pessoas ao seu redor não consigam sair do estado negativo, isso devido ao fato gerar reações químicas que vão sendo reaplicadas de uma fenda para outra, gerando mais estado de negatividade.

Esses estudos vêm do cientista e filósofo Steven Parton, que buscava entender o motivo pelo qual as pessoas continuavam se sentindo mal e tinham dificuldades para sair deste estado. Parton notou o poder que a reclamação de uma pessoa tem não só nela, mas em todos a sua volta. Isso porque quando alguém reclama demais de alguma coisa, está gerando um possível sintoma de pessimismo, e se você estiver próximo e ouvindo (vamos lembrar a questão da sinapse), provavelmente também começará a ter pessimismo, pois bioquimicamente é o que está sendo passado para você.

E o que eu ganho se parar de reclamar ou afastar-me dessas pessoas? Muito!

Quando uma pessoa para de reclamar gera mais sentimentos de felicidade para o corpo, isso porque passa a olhar para o lado bom das coisas e sempre buscar uma intenção positiva nas atitudes dos outros. Ela consegue identificar mais sorrisos e alegrias, pois um mesmo fato que para uma pessoa pode estar gerando raiva, pra ela, pode criar aprendizado.

Outro acontecimento importante que acontece quando paramos de reclamar é que conseguimos mudar nosso foco do problema para solução, e isso é fundamental para a criação de oportunidades em resolver alguma coisa.

E para terminar, uma dica valiosa para quando der aquela vontade de fazer uma reclamação. Pergunte para si mesmo: “O que eu quero ao invés disso?”. Dessa forma, você reprograma seu cérebro para a busca do seu desejo e passa a ficar mais próximo dos seus objetivos. E é ai que se pode construir uma maior felicidade e plenitude.



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade do autor identificado abaixo.

  1   0

Lucas Silva dos Santos

Master Coach

LUCAS SANTOS é Master Coach, Leader Coach e Coach Executivo, Mestre em Programação Neurolinguistica (PNL) pela Master Solution Institutes (MSI) e membro da Sociedade Latino Americana de Coaching (SLAC), é Certificado Internacionalmente pela IAC (International Association of Coaching) e Master Solution Institutes (MSI). www.lucassantospalestrante.com.br