Dá pra lidar com um chefe ruim? Depende do que você chama de lidar.

O Fabio pede demissão a cada chefe que não cumpre o combinado com ele. Outros da equipe dele, não. Mas ele não suporta sacanagem. Teve 4 empregos nos últimos 6 anos.

A Luciana fala o que pensa, mas tem bom atendimento ao cliente. O chefe precisa dela, sabe que ela é melhor que ele tecnicamente e odeia isso. Então ela fica, mesmo sendo bocuda. Mas fica mesmo. No mesmo cargo, no mesmo salário, no mesmo trabalho. Há oito anos, já.

A Claudia faz. O que ela faz é fazer. Ponto. A chefe é incoerente, insegura e tirana. E a Claudia só faz, não fala, não reclama, não pede nada. Executa sem parar, como se nada estivesse acontecendo, e às vezes sofre em silêncio quando vê uma injustiça. Por isso ela ganha um aumento de vez em quando.

O Paulo odeia liderança ruim. Mas ele suporta. Tem um plano de carreira traçado na cabeça e está indo atrás dele. Pra ele, aquele chefe que perde 2 horas se preocupando com o picote e nenhum minuto com o planejamento é só mais um pedaço do caminho que ele está traçando para sua carreira. Ás vezes interfere, mas mantém a coisa suportável.

Estes casos relatam algumas formas que usamos para lidar com chefes ruins. Cada um tem uma maneira de se comportar e também de encarar a situação.

Tudo depende dos seus fatores levados em consideração, da sua escala de importância para as coisas, dos valores que podem ser mais deixados de lado que outros, para você. Se seu valor mais importante é segurança, por exemplo, se você busca isso constantemente e acima de qualquer outra coisa, não será impossível suportar chefes tiranos, desde que saiba que fazendo o que eles querem, não vão te demitir, como a nossa amiga Claudia, por exemplo.

Se seu valor principal é o status, isso também pode te manter com um chefe incompetente, se seu salário e cargo estiverem de acordo com o que considera importante. Você acaba suportando o sujeito para manter seu padrão de vida, seu cargo alto ou o nome da empresa em seu crachá. Pode ser o caso do Paulo, que tem planos e precisa escalar uma organização.

E tudo bem.

Se seu valor mais alto for justiça, se for daqueles que abraça a causa do outro e não consegue ver falta de equilíbrio, dificilmente vai suportar um chefe que manipula regras, ou que trata as pessoas de forma diferente.

Se for liberdade, nem preciso dizer. A própria estrutura organizacional já vai incomodar, o que dizer um chefe ruim...

E tudo bem também.

Não importa qual tipo de chefe ruim é o seu. Ainda tem de monte, pessoas fechando os olhos para as mudanças na gestão de gente, para a humanização nas empresas, para novas e modernas estruturas sem chefes ou hierarquias. Tem gente achando que assédio moral não existe, que bullying é invenção do mimimi da moda, e que se o mundo sempre funcionou assim até agora, nada tem que mudar. Tem gestor que chega a desprezar leis e dizer isso em discurso para mostrar seu poder em situações tão pequenas que sequer deviam ter sido decididas por ele. Tem um grupo desassociado de gestores péssimos que pensam da mesma forma, lutando contra o progresso das relações de trabalho.

Isso é um fato.

O que se poder fazer?

É simples e duro. Não tem terceiro caminho. Ou você fica e suporta, para satisfazer seus valores principais ou um objetivo além, ou você sai em busca de outra coisa, para satisfazer também esses valores e objetivos.

O que é melhor?

O que for melhor para você. Não posso recriminar uma pessoa que se faz de capacho para manter o emprego, sendo ela necessitada e complicada financeiramente, ou não. Só ela sabe o quanto paga ao sofrer com anulação e até humilhação para manter aquele emprego, que cumpre para ela um papel muito mais importante do que ser apreciada e reconhecida. Algo naquele emprego é mais importante do que o orgulho ou a vontade própria para aquela pessoa.

Também não posso recriminar o esquentadinho que joga a toalha nas primeiras investidas do gestor de cobrança descabida, ou de injustiça com colegas ou esquema de trabalho. Ele também está preservando algo importante para ele.

Preste atenção no que te prende em seu trabalho. Se você está incomodado, ao invés de tentar descobrir, resolver ou reclamar do que incomoda, pense no que há ali de tão importante pra você. Será que é mesmo só dinheiro?

A solução

Tem solução. Se é possível, é outra coisa. A longo prazo, estes gestores vão sair do mercado ou acabar cedendo à mudança. Mas só o passar do tempo de nada adianta se eles forem criando outros como eles, se forem se reproduzindo. Como impedir isso? Não fique como eles. Nunca se esqueça o que passou, o que pensou e o que sentiu quando teve um chefe ruim. Essas lembranças não são para alimentar um ressentimento. São para te manter próximo à realidade e com capacidade de empatia com seu futuro time.

Quando você for líder, não quero ver ninguém com vontade de ir embora da sua equipe.