Um dos principais focos do Coaching é gerar no Coachee consciência. E qual é o propósito disso? De acordo com John Whitmore somos capazes de controlar apenas aquilo que temos consciência. E aquilo que não temos, nos controla, portanto a consciência nos confere poder. Então, como gerar consciência?

No processo, o Coach utiliza ferramentas específicas que guiam o Coachee no caminho de sua própria consciência, potencializada através do exercício da atenção focada, onde ele irá aprender a observar e interpretar o que vê, ouve e sente em todas as áreas da vida. Dessa forma, será capaz de desenvolver suas habilidades e, ainda, criar estratégias para minimizar aquilo que o enfraquece ou desanima.

Considerando que não há duas mentes humanas iguais, sabemos que cada um é único e reage também de forma única. Assim, como alguém pode lhe dizer o melhor caminho para sua performance? Somente você é capaz de descobrir como, através da consciência. No ambiente empresarial, é comum que um gerente tenha a tendência de dizer o que deve ser feito e como, seguindo uma receita já pronta, que normalmente facilita e agiliza a execução do trabalho. É claro que, em muitos casos, isso é mandatório, porém, a inovação só surgirá quando se permite aos seguidores pensar e experimentar, gerando sua própria percepção e consciência do como fazer.

Portanto, quanto mais focada for a atenção no que está acontecendo ao redor, no que se ouve, sente ou vê e, ainda mais, em saber o que se está experimentando, maior será a consciência gerada e, consequentemente, de melhor qualidade será sua performance.

No futuro, os processos educacional e empresarial terão suas bases fundamentais em Coaching. Por hora, precisamos do profissional Coach para nos apoiar a ter alto desempenho em todas as áreas de nossa vida. E você, o que está esperando?


Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade da autora identificada abaixo.