De repente, nos deparamos com o momento de mudança, um importante ponto de virada enriquecedor e ao mesmo tempo desconfortável (por que não), capaz de nos desorientar a partir do nosso ponto de vista estável. Questionamentos como: qual o melhor caminho seguir, o que realmente é interessante para minha vida, qual a minha missão ou propósito de vida, o que me inspira, o que me motiva, o que eu quero com essa escolha e tantos outros, vão tomando forma. Aliá-los aos recursos internos que adquirimos ao longo da vida, nem sempre é tarefa tranquila.

Diversas metodologias focadas no desenvolvimento humano e profissional, são parceiras importantes para alavancar esse momento de mudança. Em especial, o processo de coaching é transformador de vidas quando se trata de caminhar do ponto em que estamos (nosso estado atual) até o ponto em que sonhamos ou pretendemos estar (nosso estado desejado).

O Coach, é um profissional com conhecimentos e ferramentas adequadas, que permitem fazer com que seu coachee (cliente), possa encontrar os recursos necessários para a prazerosa chegada a esse estado desejado. O foco está em gerar resultado a partir do potencial de seus clientes.

Para Sullivan França, presidente de uma das mais importantes escolas de formação de coach da America Latina, a SLAC, a metodologia coaching “é um processo com foco 100% em solução”

Transições de vida e carreira, quase sempre vem carregadas de recursos incríveis que fomos adquirindo ao longo de nossas vidas, e podem ainda, trazer consigo significados, valores e crenças que fazem parte da nossa trajetória. Quando essas crenças são expansivas e nos permitem olhar adiante com visão prospera e desafiadora, isso deve ser ressaltado como um dos nossos recursos internos importantes para a construção desse novo caminho, o nosso estado desejado.

No entanto, algumas crenças tem a capacidade de limitar nosso potencial, dificultando escolhas, impossibilitando-nos de construir esse caminho tão desejado e novo. O processo de coaching de forma estruturada, baseado numa escuta atenta, pode contribuir para que crenças limitantes não interfiram no seu processo de mudança.

Aliar os potenciais individuais ao conjunto de recursos internos e externos para esse momento de mudança é muito mais assertivo e pode elevar a performance de forma surpreendente.

Mudar, é tarefa ousada, carregada de propósito, de sentido individual, ou de sentido coletivo. Períodos de transição geram muitos questionamentos importantes e dentre eles, o porque das coisas, que alinhado ao, o que fazer e como fazer, são cruciais para qualquer escolha, seja no âmbito profissional ou pessoal.

Há um conforto significativo quando tratamos de períodos de mudança e transição. Se partirmos do ponto, de que estar em trânsito é estar em movimento constante, em busca de algo relevante para nossas vidas, dotados de maior significado, sem o comum juízo de valor, é nítido que construiremos uma trajetória de sucesso desejado.

Não obstante, aliar nossos recursos internos e externos, instigados pelo desafio e pelo papel de quem o desafia (nesse caso com conhecimentos e habilidades para isso), é muito significativo para contribuir nesse processo de mudança e transição.

Bem-vindo ao delicioso sentido de estar em movimento, agarre-o em consonância com o que você acredita, afinal os recursos que estão em você são maravilhosos. Basta instiga-los a emergir.



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade do autor identificado abaixo.

  0   0

Ricardo Leme

Life Coach

Professional Coach de Vida e Carreira, pela Sociedade Latina Americana de Coaching - SLAC, um dos maiores centros de referência em formação da América Latina. É relações públicas, especializado em comunicação organizacional, marketing, sustentabilidade e em negócios de alto impacto social pela Fundação Dom Cabral, a melhor escola de negócios da America Latina. email: ricardo@projeta.me