Na década de 1990, a expressão "Inteligência Emocional", tornou-se tema de vários livros e de uma infinidade de discussões em programas de televisão, em escolas e mesmo em empresas. O interesse da mídia foi despertado pelo livro "Inteligência emocional", de Daniel Goleman, redator de Ciências do The New York Times em 1995. (GOLEMAN, D.. Emotional intelligence. New York: Bantam Books, 1995.). A tese de Goleman é que não bastava a pessoa ser um gênio se não soubesse lidar com as emoções.

Agora, no século XXI, por sua vez, desperta para a realidade da Inteligência Espiritual, sem a qual não se pode compreender verdadeiramente o significado da a vida humana, a existência da vida humana.

Essa tese vem demonstrada por Danah Zohar, física e filósofa americana juntamente com o marido, o psiquiatra Ian Marshall, no livro "A Inteligência Espiritual", (QS = do inglês Spiritual Quocient), no qual vêm comprovando a existência, no cérebro humano, de um setor do qual irradiam as vivências espirituais do Homem, a que ela chama de “Ponto de Deus.” Trata-se do “Ponto de Deus”no cérebro Humano.

O QUE SERIA A INTELIGÊNCIA ESPIRITUAL?

Danah afirma: “é a terceira inteligência, que coloca nossos atos e experiências num contexto mais amplo de sentido e valor, tomando-os mais efetivos”. Ter alto quociente espiritual (QS) implica ser capaz de usar o espiritual para ter uma vida mais rica e mais cheia de sentido, adequando senso de finalidade e direção pessoal.

- O QS aumenta nossos horizontes e nos torna mais criativos. É uma inteligência que nos impulsiona. É com ela que abordamos e solucionamos problemas de sentido e valor. O QS está ligado à necessidade humana de ter propósito na vida. É ele que usamos para desenvolver valores éticos e crenças que vão nortear nossas ações", já que as nossas crenças são as regras pelas quais vivemos.

Danah mostra, mais ainda: “O líder espiritualmente inteligente é uma pessoa responsável por trazer visão e valores”. É uma pessoa que inspira as outras, do tipo de Jesus Cristo, Nelson Mandella, Madre Tereza de Calcutá e outros.

O HOMEM É ESPIRITUAL

A proposição da Inteligência Espiritual (QS) vem comprovar a temática de que o ser humano é espiritual, queira ou não queira, pois existe em sua mente um mistério que é maior do que ele mesmo e, em algum ponto do seu cérebro, o chamado "Ponto de Deus".

No lobo frontal, localizado na parte da frente do cérebro (testa), acontece o planejamento de ações e movimento, bem como o pensamento abstrato. Nele estão incluídos o córtex motor e o córtex pré-frontal.

A atividade no lobo frontal de um indivíduo aumenta somente quando este se depara com uma tarefa difícil em que ele terá que descobrir uma sequência de ações que minimize o número de manipulações necessárias para resolvê-la. A decisão de quais sequências de movimento ativar e em que ordem, além de avaliar o resultado, é feito pelo córtex-frontal, localizado na parte da frente do lobo frontal. Suas funções incluem o pensamento abstrato e criativo, a fluência do pensamento e da linguagem, respostas afetivas e capacidade para ligações emocionais, julgamento social, vontade e determinação para ação e atenção seletiva. Lesões nesta região fazem com que o indivíduo fique preso obstinadamente a estratégias que não funcionam ou que não consigam desenvolver uma sequência de ações correta.

Esse “Ponto de Deus”, claramente localiza-se no Lobo Frontal, que cuida, dentre as tarefas mencionadas acima, envolver-se, também, com incumbência da espiritualidade (não necessariamente de uma religião específica), da moralidade e da vontade e que nos faz buscar um significado e valores para as nossas vidas. Deste modo, o homem jamais deixará de ser espiritual, jamais deixará de ser religioso, jamais deixará de adorar, isto é de "religar-se" a algo ou alguém que o transcende. É uma área ligada à experiência espiritual. Tudo que influencia a inteligência passa pelo cérebro e seus prolongamentos neurais. Um tipo de organização neural permite ao homem realizar um pensamento racional, lógico e espiritual.

Porém, alguns perguntarão: “E os chamados ateus?.” Bem, a pessoa que se considera ser um ateu, também, tem o Lobo Frontal. Se ele, igualmente tem o Lobo Frontal, significa que ele, identicamente, tem a capacidade de ser espiritual, de adorar como qualquer ser humano. A questão é a que ou a quem ele dedica a espiritualidade, a quem ele adora. Mas se ele tem um Lobo Frontal, significa que ele acaba adorando ou espiritualizando alguma coisa.

COMO SE PODE DESENVOLVER A INTELIGÊNCIA ESPIRITUAL?

Segundo Danah, “Inteligência espiritual tem a ver com o que eu sou, com os meus valores”, e, lembra a escritora do seguinte aviso: “Precisamos alimentar essa inteligência para motivar a cooperação – entre a família, a comunidade, os países. Só assim vamos encontrar soluções positivas para o planeta, e nos encontrar nessa busca também.”

. Procurando mais o porquê e as conexões entre as coisas, trazendo para a superfície as suposições que fazemos sobre o sentido delas, tornando-nos mais reflexivos, assumindo responsabilidades, sendo honestos conosco mesmos e mais corajosos. Tornando-nos conscientes de onde estamos, quais são nossas motivações mais profundas. Identificando e eliminando obstáculos. Examinando as numerosas possibilidades, comprometendo-nos com um caminho e permanecendo conscientes de que são muitos os caminhos, estamos exercendo o QS.

Tomando consciência das características comuns às pessoas espiritualmente inteligentes e trabalhando para desenvolvê-las Dana Zohar identificou dez qualidades comuns às pessoas espiritualmente inteligentes. Segundo ela, essas pessoas:

Praticam e estimulam o autoconhecimento profundo.:

Coisas como: Quem eu sou realmente? O que me estimula levantar de manhã? O que me motiva fazer coisas todos os dias e o dia todo? Amo pessoas?

São conduzidas por valores humanos. São idealistas e creem na vida.

Coisas como: Meus valores estão no dinheiro? Tenho certeza dos meus valores? Conheço o que quero? Quem conduz a minha vida, eu ou outros? Você tem tudo que merece no momento? Meus valores estão centrados somente em mim ou eles tem espaço para o próximo?

Têm capacidade de encarar desafios e utilizar a adversidade a seu favor.

Coisas como: Sou resiliente? Sou forte ao encarar um problema? Desisto fácil? Sou maleável em meus conceitos? Aprendo com os meus erros?

São holísticas - têm a visão do todo integrado e a percepção da unidade.

Coisas como: Defendo uma compreensão abrangente das ocorrências em minha vida, na de outros e ao meu redor? Defendo a harmonia entre as pessoas? Tenho um senso do todo em minha vida ou olho só para mim?

Celebram a diversidade como fonte de beleza e aprendizado.

Coisas como: Aceito o contra ponto? Trabalho bem com a oposição dos ouros? Tenho aprendido em conversas discordantes? É só a minha opinião que vale? Sei lidar com a pluralidade?

Têm independência de pensamento e comportamento.

Coisas como: Mudo meus paradigmas? Sou fiel às minhas crenças de vida? Meus valores são inabaláveis? Coloco meus pontos de vista em uma nova perspectiva? Tenho equanimidade em meus comportamentos? Sou livre e autônomo? Deixo-me influenciar facilmente?

Perguntam sempre "por quê?" e "para que". São agentes de transformações.

Coisas como: Fecho-me em uma ideia ou argumento sem dar chance de conhecer outros pensamentos? Sou curioso em conhecer novas possibilidades? O novo me atrai? Tenho variação de pensamentos positivos? Fico preso a pensamentos negativos?

Têm capacidade de colocar as coisas e os temas num contexto mais amplo.

Coisa como: Analiso um contexto com mente aberta? Faço um enquadramento notável de uma situação? Ajo com coerência? Analiso todas as possibilidades antes de tomar um decisão? Procuro variar os conteúdos que assumo para a minha vida?

Têm espontaneidade de gestos e atitudes, e são equilibradas emocionalmente.

Coisas como: Tenho fluência em minhas atitudes? Controlo minhas emoções? Sou voluntarioso com as necessidades do próximo? Sei como anda meu destempero comportamental? Sou simples e humilde em meus relacionamentos?

São sensíveis, fraternas e compassivas.

Coisas como: Sou carinhoso com meus pais? E com minha família? Ajudo os colegas de trabalho? Sou cordial com as pessoas? Sou compadecido com as dores de outras pessoas ou não me importam? Sou sentimental com o meu cônjuge ou parceiro? Vivo uma vida de ressentimento com algum desafeto? Sei perdoar?

Após analisarmos os questionamentos básicos propostos pela Dra. Danah podemos concluir que ter alto quociente espiritual (QS) implica ser capaz de usar o espiritual para ter uma vida mais rica e mais cheia de sentido, adequado senso de finalidade e direção pessoal. O QS aumenta nossos horizontes e nos torna mais criativos. É uma inteligência que nos impulsiona. É com ela que abordamos e solucionamos problemas de sentido e valor. O QS está ligado à necessidade humana de ter propósito na vida

Termino este artigo com um pensamento que encontrei num excelente livro, redigido por outra escritora: “As tendências da natureza física, a menos que postas sob um domínio de um poder mais alto, seguramente obrarão ruína e morte. O corpo deve ser posto em sujeição às faculdades mais altas do ser.” Ellen G. White no livro Mente, Caráter e Personalidade, da Casa Publicadora Brasileira.



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade do autor identificado abaixo.

  0   0

Antonio Carlos da Silveira Albamonte

Life Coaching, Coaching Executivo, Coaching Positivo (Emoções Positivas, Felicidade e Bem-Estar).