Quando um dos integrantes do grupo começa a pensar de forma diferente dos demais, quando seus objetivos pessoais se distanciam dos objetivos do grupo, este sujeito tende a se desmotivar, podendo inclusive se deprimir devido a não realização de seus objetivos.

Normalmente, quando acontecem casos como este, que não são raros nas empresas, os caminhos passam por advertências, grupos desunidos, baixa produção e demissões, que de modo geral, custam muito para as organizações.

Mas então, o que fazer? Quais caminhos podem ser tomados?

Um caminho que considero interessante e favorável a todos é o de trabalhar este integrante que estaria descontente com o distanciamento entre os seus objetivos e os da empresa. Pois, um realinhamento se faz necessário, porém não é tão simples.

O processo de coaching é uma alternativa interessante. E buscar, inicialmente, desenvolver as metas pessoais do sujeito, alinhando-as com os objetivos da empresa no qual está inserido, pode ser um caminho. Uma vez dado o primeiro passo em busca das metas pessoais, pode-se demonstrar que, para atingir tais metas, também é necessário trabalhar em busca das metas do grupo no qual o sujeito está inserido. Claro que pode ocorrer o surgimento de novos caminhos e novos horizontes a serem alcançados, e neste caso o sujeito deve partir para uma busca pessoal.

Em ambos os casos, o grupo se beneficia, visto que, um único integrante descontente é o suficiente para desestabilizar todo o grupo.

E este é apenas um dos benefícios do coaching.


Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade do autor do post identificado abaixo.

  0   0

Paulo de Tarso Ferreira Corrêa

Life Coach

Mestre em Ciências da Saúde Psicólogo Clínico Life Coach http://www.paulodetarsocoach.com http://lattes.cnpq.br/1070948307377585