Considero que muito mais do que uma crise financeira e econômica vivemos uma crise moral, ética e de valores.

Por força da minha atividade profissional circulo entre África, Brasil e Portugal e nas três geografias verifico o mesmo discurso: falta de recursos, crises de todo o tipo, insatisfação generalizada, descrença no futuro, desânimo e tantas outras queixas desse teor.

Desde setembro de 2015 tenho vindo a refletir sobre este cenário que fui percebendo e vivendo um pouco por todos esses lugares. Ali tive que tomar uma decisão. Foi uma decisão importante que modificou muito a minha vida nesse passado recente: Escolhi Não aderir à crise !

E não aderi à crise de forma extraordinariamente libertadora. Entendo o momento atual, os desafios e as circunstâncias, mas gostaria de compartilhar algumas considerações que me levaram a não aderir à crise:

• Tudo passa! Por mais desafiador que seja o momento que agora possa se estar vivendo, vai passar, vamos superar e vamos seguir em frente. A história está ai para evidenciar inúmeros testemunhos de superação;
• Contudo, considero que todas as experiências pelas quais passamos são excelentes oportunidades de aprendizado e crescimento. Conseguir criar, inovar, seguir em frente e não desistir são atitudes vencedora;
• Em tempos de maior adversidade é que temos oportunidade de buscar ajuda para reencontrar o nosso “eixo”, de buscarmos a nossa essência, rever nossos valores, nossos objetivos de vida, nossos propósitos e seguir em busca de alcançar as nossas metas;
• Procurar em meio a este momento fazer uma reflexão interna e encontrar uma vida com significado. Como diz o ditado: para quem não sabe onde quer chegar qualquer caminho serve …

Somos fruto do meio, do contexto que nós próprios fomos alimentando, desenvolvendo e estimulando ao longo dos tempos. Então, se vivemos hoje o que plantamos ontem, gostaria de deixar aqui um convite: o que podemos fazer hoje, no nosso presente, para criarmos um futuro diferente? De que forma temos contribuído para mudarmos o rumo dos acontecimentos? Que propósitos e objetivos estamos almejando e buscando?
Se os tempos são de novos desafios, que sejamos então pessoas mais e melhores preparadas, de novas convicções, paradigmas e desenvolvendo novas atitudes.

Se o plano A não está dando os resultados esperados, vamos para o B, o C, o D e o alfabeto inteiro se for preciso mas vamos seguir, vamos continuar.

Força anímica, coragem, dedicação, empenho e vontade. Vontade de vencer, de deixar a nossa marca e de recriar a nossa história. Vontade de conquistar metas e ultrapassar expectativas, vontade de viver cada dia de forma única, intensa e inesquecível.

Acreditar no potencial e na capacidade do ser humano, nas nossas forças pessoais e nas inúmeras oportunidades que todos os dias se apresentam em nossas vidas.
"Não se pode ensinar alguma coisa a alguém, pode-se apenas auxiliar a descobrir por si mesmo." Galileu.



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade da autora identificada abaixo.

  0   0

Sandra Raphael

Master Coach

PECC Professional Executive Coach Certification - SLAC - São Paulo - Brasil; PCC Professional Coach Certification – SLAC – São Paulo – Brasil; PDC Professional DiSC Certification Pós-graduação em Gestão Lato Sensu – NOVA SBE - Lisboa 2006. Administração de Empresas – UCCB – São Paulo – 1991 Inglês Fluente - Advanced English – Wall Street Institute, Lisboa, Maio 1998