Quando sou contatada pelo RH das empresas para demandas de capacitação, normalmente costumo ouvir que os funcionários não estão performando como deveriam e que as lideranças não conseguem comprometer seus liderados. Outro discurso frequente é que é muito difícil encontrar pessoas que realmente estejam dispostas a trabalhar duro.

As lideranças de um modo geral solicitam ao RH ações de capacitação para “resolver o problema”. Normalmente isso não equaliza o cenário, gera frustração na equipe, nas suas lideranças e compromete os resultados almejados pela direção da empresa. O que precisamos entender, diagnosticar é se a equipe foi formada tendo como referência as competências essenciais da empresa e os resultados projetados.

Muitas vezes a relação “profissional-salário a ser pago”, é muito perigosa. Quando a empresa contrata, é importante que as estratégias da empresa e os resultados sejam claros e considerados para escolha do profissional. As famosas descrições de cargos, representam parte dessa compreensão mas não são suficientes. A descrição é fria e muitas vezes não contemplam os atributos e as atitudes que serão necessárias ao profissional frente a cultura da empresa, suas futuras metas, seu ambiente de trabalho e sua liderança direta. Esse olhar é o principal ingrediente para formação de uma equipe com potencial para alta performance.

Outro grande desafio para o alto desempenho em base continua é o desenvolvimento das pessoas e este assunto tem como fator humano principal a liderança da equipe. O líder precisa saber ser gestor, ter clareza da sua meta e de quais caminhos o conduzirão aos resultados almejados para que sua equipe produza de maneira inteligente e comprometida. Não só isso mas, saber transitar com naturalidade entre o papel do gestor e do líder. Focar processos, resultados, lucratividade, etc., em equilíbrio com as pessoas e seus comportamentos frente ao trabalho.

A capacitação agora entra nesse cenário sendo a liga de todos estes elementos, unindo as pessoas e orientando-as para o alcance de seus desafios organizacionais. A escolha da modalidade de capacitação e do conteúdo a ser trabalhado é definido pelos gestores frente a uma observação on the job e aplicação de ferramentas para avaliação comportamental e/ou considerando alguma nova estratégia da empresa que exija um novo nível de performance.

É imprescindível que as organizações coloquem suas áreas de RH dentro de uma perspectiva verdadeiramente estratégica para que os aspectos apresentados neste artigo sejam considerados e vivenciados com foco no Desenvolvimento Humano e Organizacional em bases sustentáveis.

Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade do autor do post identificado abaixo.

  0   0

Delania do Nascimento Santos

Master Coach

Especialista em Gestão Estratégica do Varejo pela USP/PROVAR; Personal & Professional Coach pela Sociedade Brasileira de Coaching entidade licenciada pela Behavioral Coaching Institute; Professional Coach of Executive Coaching por meio da International Association of Coaching,IAC e pela Sociedade Latino Americana de Coaching, SLAC. Professional Assess Certification pela SLACoaching e HR Tools.