Isso acontece muitas vezes, principalmente quando você não consegue sozinho identificar dentro dos elementos que nos levam ao sucesso, um elemento chamado autocritica. A jornada para se tornar uma pessoa melhor, seja em relação ao mundo, uma cidade ou apenas para gerar uma mudança na vida das pessoas a sua volta, exige algum esforço e, esse esforço que chamamos apenas de "mudança" incomoda muita gente, exatamente porque grande parte das vezes, as pessoas tem que olhar para si e admitir que "não está bom".

Olhar para si, admitir erros e se prestar a trabalhar neles não é tão fácil, principalmente porque o nosso cérebro tem um papel fundamental nesse processo, nos proteger. É isso aí, nosso cérebro é o que podemos chamar de agente protetor, com uma nobre missão: buscar sentimentos, sensações e informações dentro da nossa cabeça para que de algum modo, sempre justifique os comportamentos errados das pessoas que gostamos, para que pareçam certos. Você não leu nada errado, é isso mesmo, o seu cérebro procura justificar os erros das pessoas que você gosta, para que você possa continuar convivendo bem com elas e dessa maneira, o seu cérebro aceita como certo o erro alheio.

Todas essas informações recebidas pelo cérebro são armazenadas em um lugar chamado hipocampo, que é responsável por receber e guardar todas as suas memórias de curto prazo.

O que acontece com todas essas informações?

Existem duas formas de como essas informações são recebidas pelo cérebro e por consequência como elas influenciarão no seu processo de formação. Vamos falar primeiro do modo de proteção do cérebro que justifica erros repetidamente. Esse modo leva o nome de continuidade.

Continuidade porque um dos modelos de formação de hábitos é a repetição de padrões, ou seja, ver repetidamente os erros e maus hábitos alheios e repeti-los. Vamos para um exemplo prático e rápido:

Digamos que você perceba o quanto alguém que você gosta é respeitado por onde passa por ser conhecido como ríspido e grosseiro, ainda que você vá em vários lugares diferentes ao longo dos anos, aquela informação recebida continuamente parece persistir e não mudar. Seu cérebro com a nobre missão de te proteger, irá buscar informações que usadas de modo adaptativo justifiquem as atitudes dessa tal pessoa que você gosta.

Como? Lhe fazendo pensar que as pessoas é que não entendem o fulano, que são reclamonas e na verdade é que elas é que são ríspidas e grosseiras com quem você gosta.

Automaticamente, seu cérebro passa a aceitar essa postura ríspida e grosseira de quem você gosta como sendo certa e, em pouco tempo, está lá você com os mesmos hábitos. Isso acontecerá de forma ainda mais rápida se você tiver o desejo de ser vista como aquela tal pessoa "respeitada".

Esse efeito se estende a hábitos como falta de organização, falta de respeito e carência.

Está aí um grande motivo para nos esforçar com o intuito de entender as pessoas a nossa volta pois muitas podem apenas estar sendo uma repetição de padrões adquiridos.

Vamos para o segundo modelo de formação de hábitos, que demos o nome de SHOCK. Esse modelo é o do forte impacto emocional. Quando você é exposto ou se expõe a algum forte impacto emocional e isso acontece muito enquanto criança, as informações recebidas de forma impactante ficam fortemente gravadas na sua cabeça, o que vem no futuro também a intervir no seu processo de formação.

Normalmente, traumas e medos são decorrentes desse modelo. Exemplo rápido:

Uma queda quando criança pode levar essa mesma criança depois de adolescente, a ter medo de altura.

E o simples fato de uma forte presença do fator medo, leva a outros medos, como medo de escuro e etc.... e então o medo se torna hábito.

Dois processos de recebimento de informações levam a hábitos e, te levaram a ter hábitos que você tem hoje, do recebimento de informação continua ou do recebimento de informação sobre forte impacto emocional.

Para pensar e refletir

Porque todas essas informações sobre formação de hábitos?

1 - Para que você possa mergulhar em você mesmo, entender os seus hábitos e a formação deles.

2 - Trabalhar de modo objetivo e consciente para modificar os que te atrapalham de prosseguir.

3 - Desenvolva hábitos saudáveis de leitura, reflexão, planejamento e organização, de previsibilidade, de compreensão das diferenças das pessoas.

4 - Desenvolva o hábito de servir e contribuir com o seu conhecimento prático e teórico.

Isso é mergulhar em si, trabalhar na sua vida e nos seus hábitos.

Escolha a direção certa para FAZER A DIFERENÇA e manter-se firme na caminhada pelo SUCESSO.



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade do autor identificado abaixo.

  0   0

Fabio Vicentin Alvarenga

Life Coach

Fabio Vicentin Alvarenga, presidente da ABCDesenvolvimento ? Associação Brasileira de Coaching & Desenvolvimento, coach, membro da Sociedade Latino Americana de Coahing e da IAC ? International Association of Coaching e palestrante é o primeiro coach do Vale do Açu. Possui certificação internacional em coaching e estudou nos melhores cursos e treinamentos do mercado na área do desenvolvimento humano, inteligência emocional e PNL ? Programação Neuro Linguistica. É especialista em coaching de inteligência emocional, ministra cursos, treinamentos e palestras de coaching, vendas, negociação, alta performance, produtivdade e liderança. Possui 16 anos de experiência na área de gestão de empresas e pessoas atuando nas maiores construtoras do Brasil e há 04 anos atua exclusivamente na área educacional.