Hoje, recebo em média 55 CVs por dia, por email, e 10 CVs por dia, em papel (correio e entrega na portaria), fora os que recebo para as vagas lançadas em sites de empregos. Não tem jeito, na hora de separar ou classificar, os CVs com as informações mais organizadas ficam na frente para serem contatados. O que eles têm de melhor que os outros?

1 – Dados pessoais

Dados pessoais no CV são:

- Nome

- Telefone (s) com DDD

- e-mail (no máximo 2)

- Endereço, com bairro e cidade

- Estado civil

- Data de nascimento e/ou idade

Acabou. Não precisa colocar números de documentos, nome dos pais, se é fumante, se tem filhos, peso e altura.

Coloca-se número de registro para profissões regidas por um conselho. Por exemplo, eu tenho o número do meu CRP no meu curriculum.

Peso e altura, somente se você for candidato a uma vaga que justifique alguma exigência ou restrição física: modelo, hostess, segurança (para algumas vagas nesta área é importante o selecionador ter esta informação).

O fato de você ser fumante ou de ter filhos não deve ser levado em conta no momento da triagem de currículos, e nem deve ser motivo para a não contratação, apesar de sabermos que é, em muitos casos. Eu não aconselho colocar porque, diferentemente de outras características, isso pode ser deixado de lado em uma seleção se o recrutador realmente achar que você tem o perfil para a vaga.

Não é necessário colocar uma capa. Mesmo que o CV seja enviado por e-mail, e não haja gasto de papel, para uma visualização rápida, a capa atrapalha muito.

2 – Formação

Em ordem: Curso – Instituição – ano de formação ou ano previsto para formatura.

Sempre do mais recente para o menos. Aqui só entram graduações, pós-graduações ou cursos técnicos. Ou ensino médio, na falta dos anteriores.

Havendo graduação, mesmo que em andamento, não há necessidade de colocar o nome de sua escola no ensino fundamental e médio.

3 – Experiência

Nome da empresa – data de início e data de saída (se ainda estiver na empresa, deixe sem data de saída ou coloque “atual”) – Último cargo ocupado – resumo das atividades realizadas.

4 – Idiomas

Coloque primeiro os idiomas em que for fluente. Idiomas em que você não for fluente somente devem aparecer no CV se você estiver cursando, ou se estiverem, no mínimo, em nível intermediário. Conhecimentos básicos de um idioma são dispensáveis no CV. Data e escola não têm muita importância, porque se você é fluente em um idioma, uma entrevista nele pode validar. Por isso nunca minta que fala inglês, por exemplo, se não falar. Já vi muitos candidatos passarem maus momentos nas entrevistas porque tinham mentido sobre sua fluência.

Por favor, só coloque “Português fluente” se você for estrangeiro.

5 – Cursos livres

Aqui podem entrar todos os cursos de qualquer duração, tendo ou não certificado. Os certificados são exigidos para curso médio, superior e pós-graduação.

Coloque somente os cursos cujos temas estão relacionados à sua carreira. Se você faz gastronomia, é importante colocar que fez um curso de cupcake. Mas se você é da área de TI, não coloque.

Envio de CV por email

Algumas dicas que facilitam nossa visualização:

- Assunto: coloque o nome da área em que deseja trabalhar. Quando recebo um email com assunto “CV” deixo para olhar por último, porque tenho outros mais objetivos para ver, e que vão me interessar primeiro. Exemplos: “CV Financeiro”, “CV RH”, “CV ilustração”, “CV serviços gerais”, “CV prof Física”. Assim já sei do que se trata e se me atende naquele momento.

- Corpo do email: Texto curto, bem objetivo. Pode somente dizer que quer apresentar o currículo, ou pode mencionar como soube da vaga, por exemplo. Uma boa ideia, que ajuda bastante, é copiar o CV e colá-lo no corpo do email, após sua assinatura, sem deixar de anexá-lo ao email.

- Anexos: em pdf ou word. Apenas. Links para CVs online não são práticos e nem sempre o selecionador pode ou tem até permissão para entrar em qualquer tipo de página na internet.

Foto

Pode colocar foto no curriculum. Isso é bom para o selecionador lembrar de você depois da entrevista. Mas cuidado com a foto.

Pra começar, ela tem que ser sua. Não pode ser do seu filho, do seu cachorro ou do seu carro. Nem do seu computador (sim, já vi). Somente você deve aparecer na foto.

E que dê para ver bem seu rosto. Fotos de corpo inteiro somente se sua carreira exigir (modelo, segurança, ou vagas assim). Não coloque fotos sem foco, embaçadas, e nem aquelas em que seu rosto está coberto ou parcialmente coberto. Parece óbvio?

Nenhum problema em sorrir. Mas sem exageros, a foto do CV não deve ser aquela self que você fez no espelho com um batom novo para postar no face da sua amiga.

Posição: posição? Pois é, já vi muitas fotos de CVs de candidatos deitados. Então... não.

Local: local bom para foto de currículo é aquele que você não consegue saber onde é, porque a foto está dando destaque ao seu rosto e não ao local em que foi tirada. Como já recebi fotos de candidatos em cachoeiras, barcos, praias, balão (é), casamento (muitas), no Louvre, na Disney, no Coliseu, na Arena Corinthians e até no banheiro (em uma o candidato estava sentado, com o dispenser de papel higiênico aparecendo), gosto de avisar: currículo ridicularizado não é selecionado.

O recrutador parte do pressuposto de que se a pessoa não é séria nem com o documento que espelha sua carreira, como podemos esperar comprometimento no dia a dia? Pode ser um preconceito, mas é a única ferramenta que o selecionador tem para avaliar o candidato num primeiro momento, e a única que o candidato tem para se aproximar da vaga, então ela deve ser a melhor possível.



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade da autora identificada abaixo.

  0   0

Viviane Nishiura

Life Coach

Coach de profissionais de RH. LifeCoach e Analista Comportamental DIsc pela Sociedade Latino Americana de Coaching. Formada em Psicologia pela Universidade Mackenzie, com mais de 20 anos de atuação em RH generalista. www.nishiura.com.br