A verdade é que essa espera angustiante pelo que virá nos afasta cada vez mais de sermos melhores no presente, causando problemas como impaciência, insegurança, ansiedade, apatia e muitas outras características que sinalizam que algo vai mal.

Desta forma, a reeducação emocional é um convite à transformação. Por isso, ela não pode ser uma mudança efêmera, com prazo final. É um estilo de vida, que deve ser aprimorado diariamente, em busca da excelência.

Se reeducar emocionalmente é se colocar no presente, cuidando para que todas aquelas características que nos colocam na contramão da vida nos tornem pessoas cada vez melhores. Reeducar significa educar de novo, educar mais uma vez, aprimorar a educação de..., ou seja, implica em novo direcionamento de tudo o que aprendemos ou deixamos de assimilar ao longo de nossas vidas.

É um projeto audacioso, longo, minucioso, e não é pra qualquer um, mas está à disposição de todos que querem olhar para o futuro como algo que pode ser concretizado de uma maneira até então impensada ou simplesmente deixada de lado por não compreender que metas são alcançáveis, bastando ter a direção correta.

Assim, a reeducação emocional traz para o reeducando uma nova visão de mundo, em que ele pode se posicionar como um vitorioso, pois conseguirá perceber que transformando seu interior, o mundo exterior consequentemente também se transformará.

E qual a razão de estarmos conversando sobre a reeducação emocional?

Cremos que em tempos de crise, conseguirão sair vencedores aqueles que conseguirem se reconectar com seu interior de uma maneira estruturada, num processo profundo, que lhes trará a maturidade necessária para se fortalecerem ante os percalços da vida.

Daí a necessidade de dar o passo inicial, colocando em prática a reeducação emocional, que é um grande investimento, talvez o maior que você possa fazer por você mesmo, mas uma vez consolidado, te transformará naquilo que você sempre sonhou e nunca imaginou alcançar.

Daniel Goleman, o “pai” da Inteligência Emocional descreve cinco habilidades principais que devem ser trabalhadas para que se alcance o equilíbrio emocional:

1 – autoconsciência – capacidade de entender seus pontos fortes e suas limitações, aprendendo a gerenciá-los de forma eficaz.

2 – autogestão – capacidade de saber lidar com situações de pressão, mantendo a calma – postura de liderança.

3 – automotivação – habilidade de se manter motivado, focado em seus objetivos, ainda que surjam obstáculos.

4 – empatia – habilidade de se colocar no lugar do outro; entender suas necessidades e criar uma relação sólida através da escuta atenta e compreensão de que cada um é um ser único.

5 – habilidades sociais – manifestações de motivação e transmissão de confiança, transformando o ambiente para que os outros se sintam acolhidos e motivados, afastando a atmosfera hostil.

É um modelo mínimo, mas muito preciso sobre o que deve ser trabalhado por quem busca a reeducação emocional, pois ao incorporar tais habilidades em sua vida, certamente estará trilhando o caminho do sucesso. Não tem como errar!

Desta forma, pode-se perceber que só há ganhos na decisão de iniciar sua jornada em busca do equilíbrio emocional. Busque seu incentivo, busque ajuda profissional, busque os livros, busque a razão que te move todos os dias e tenha uma excelente viagem rumo à sua excelência.



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade da autora identificada abaixo.

  0   0

Natália Brandão Lacerda

Life Coach