Conformismo ou resiliência
Vivemos dias conflitantes, e o caos parece estar em toda parte: na política, na economia, nas relações de intolerância, disputas, etc.

Por vezes a mudança parece tão longe de nosso alcance, que deixamos de nos envolver de maneira participativa das coisas.  Isso tanto para coisas grandes ou pequenas da vida. 

Aposto que alguma vez na vida você deve ter deixado de expressar sua opinião para um chefe ou para seu companheiro achando que ele jamais aceitaria, julgando conhecê-lo muito bem, e seus pensamentos. Pois bem, digo algo importante: o conformismo pode arruinar você e uma nação.

O conformado simplesmente espera. Não luta, não questiona. Está passivo e muitas vezes oprimido, frustrado e deprimido.

O resiliente por sua vez, traz uma inteligência emocional que o possibilita argumentar, usar estratégias, e saber a hora certa de agir. Também traz uma adequação maior para lidar com mudanças, sem que seu estado psicológico seja abalado.

Manter-se com uma postura positiva, proativa e sã em meio a um cenário insano, pode ser tarefa árdua, mas recompensadora que pode tirar você do ordinário rumo ao caminho extraordinário em sua vida.

Como isso é possível? Acredito em algumas possibilidades:

Ressignificar as coisas: dar um novo olhar ao problema. Entender que aprendizado ele te traz. Todo problema traz um aprendizado.  Olhar por esse ângulo traz crescimento. O que você tem para aprender com isso tudo?;

Auto Responsabilização:  estar disposto a fazer parte da solução é melhor que procurar só um culpado para apontar. Fazer algo te dá empoderamento. Reclamar te coloca como vítima. O que você pode fazer para ajudar? Qual sua parcela?;

Autoconhecimento: saber seus pontos fortes e fracos te traz segurança para conhecer seus limites e o que precisa ser desenvolvido. O que você precisa desenvolver hoje em si para sobressair ao caos (seja lá em que área da vida for)? Como anda seu lado técnico, seu psicológico, sua estrutura emocional? O que te traria a força que você precisa e que passos precisa dar?;

Argumentar não é batalhar: a solução é sempre o mais importante.  Antes de entrar em uma guerra ideológica, repense. Entenda os motivos alheios. Pesquise, saiba mais dos assuntos. Cresça intelectualmente e emocionalmente para argumentar com base. O quanto você tem ouvido as partes envolvidas para buscar soluções? O quando você está disposto a aprender sobre outros pontos de vista?;

Saiba lidar com a frustração: nem sempre suas ideias serão as melhores, e ainda que sejam, nem sempre você ganhará a “batalha”. O importante é saber que você fez seu melhor, que colocou as cartas na mesa.  Você tem feito sempre a sua parte com energia?;

Silenciar: meditar, tirar um tempo para uma caminhada em um lugar tranquilo, longe do caos externo traz para você um contato com sua verdade, e para ter alguns insights importantes. Esteja apropriado de si mesmo se não quiser ser levado pelo mundo externo;

Fé:  ter algo para acreditar fortalece. Não estou falando em religiosidade. Estou falando em fortalecer sua fé, em encontrar algo para crer. Sentir que há algo maior, traz um conforto, e dá refúgio para momentos difíceis.  Em que você se apoia?

Talvez você e eu não possamos mudar o mundo todo, mas podemos mudar nosso cotidiano dos que nos cercam por meio daquilo que fazemos.  

Desejo a todos um bocado de leveza, de energia que move, e muita compreensão para lidar com todas as demandas da vida com resiliência e jamais conformismo.

Eu acredito em você!



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade do autor identificado abaixo.