Nove anos atrás foi divulgada em minha cidade uma grande oportunidade de trabalhar com a bolsa de valores. Esta seria a oportunidade da minha vida, pois até então meus empregos haviam sido de carvoeiro, trabalhador rural (boia-fria) e “guardinha” (entregador de roupas). 

Mas como consegui ser selecionado para uma vaga tão desejada por muita gente da cidade e região?

Na época, iniciara minha faculdade de administração, e estava no primeiro período. Tinha gente já formada concorrendo à vaga e pessoas de outras regiões, a exemplo de candidatos que vieram de Brasília. Lembro que meu currículo mal conseguia preencher uma página ao comparar com um dos concorrentes, recordo que fiquei impressionado, pois o dele era uma pasta bem organizada com várias qualificações e experiências.

Era a hora de desistir? Lógico que não, seria a oportunidade de mostrar o meu diferencial, o porquê acreditava que a vaga poderia ser minha.

Cheguei para a primeira entrevista e nem sabia o que era a Bolsa de Valores. Pensava realmente que era uma bolsa física, caríssima. Perguntaram a frequência que lia jornais, que até então só havia lido algumas notícias de futebol em jornais velhos que encontrara, mas a minha resposta foi sincera, enfatizando que assistia mais os jornais da televisão.

Mas como consegui passar?

Utilizei um aprendizado fantástico na vida: a vontade. O diferencial que apresentei durante a seletiva foi que eu podia não ter o melhor currículo ou os maiores conhecimentos sobre o assunto, mas que eu garantia ter a maior vontade. Após passar por cinco etapas, consegui ser selecionado. Estava em um emprego que nem sabia explicar direito para o meu pai qual era o meu trabalho.

No começo, tive de segurar minha ansiedade em dar resultados rápidos e aprender a negociar na bolsa. Descobri que a calma e o caminho são extremamente importantes para um bom resultado final. Li alguns livros, estudei muito, tirei dúvidas em fóruns e com outros investidores. Pesquisei bastante, passei por simuladores, e até cheguei a ser campeão de um deles, para depois entrar efetivamente na bolsa.

Após todo aprendizado adquirido, virei um trader (negociador) na bolsa de valores, e era hora de operar (negociar). Lembro que no começo tinha muito medo de seguir em frente, afinal além de ser iniciante no mercado, ainda investira os recursos financeiros da empresa. 

E para superar o medo, tive que ter autoconfiança.

Comecei a simular operações reais e percebi que em quase todas eu acertava, isso me deu segurança para prosseguir. Logo, comecei a acertar as operações e a principalmente amar ainda mais aquele “novo mundo”. O horário de trabalho era das nove da manhã às seis da tarde, mas nunca me importei com isso, o que me atraía era a vontade de aprender. Chegava todos os dias uma hora antes e saía de lá às dez da noite e às vezes até mais tarde, era o último a ir embora do prédio, tive outro aprendizado, que era não se importar com o horário, mas em fazer da melhor maneira possível.

Com isso, os resultados apareceram e me tornei gerente do setor de investimentos, e nesse momento prometi que um dia investiria meu próprio dinheiro e me tornaria um grande investidor.

Porém, senti necessidade de estudar mais, de buscar novos horizontes e resolvi sair do emprego e mudar de estado para estudar Engenharia de Produção em uma universidade federal.

Passaram-se alguns anos, mas eu sempre acompanhava o mercado de longe. Com isso aprendi a importância de nunca desistir de algo que gostamos e mal podia pensar que tudo que estava acontecendo também era para realizar aquela promessa.

Hoje invisto na bolsa com meu próprio recurso a mais de um ano e meio, e já ganhei duas vezes acima do valor investido. E enquanto muitos viram crise, enxerguei oportunidade, pois foram ótimos conhecimentos não só para o mercado, mas para a vida.

E para te ajudar, segue algumas dicas que aprendi com a bolsa durante estes nove anos:

1 . Enquanto todos tiverem vendo que está bom, comece a se preocupar, quando disserem que está em um momento ruim é a hora de oportunidade: este foi um aprendizado que tive ao ler uma matéria do maior investidor do mundo, Warren Buffett. É preciso que você veja oportunidade enquanto os outros veem desastre, e fique atento enquanto as coisas estiverem calmas;
Transforme sonhos em realidade

 2. Não acredite em tudo que lê. Muitas notícias servem somente para te confundir, então entenda que nem tudo que você vê e ouve são necessariamente verdades. Por trás de tudo tem alguma intenção de quem está passando a informação. Antes de acreditar e seguir necessariamente a um conselho ou opinião tenha a sua própria análise;

3. Não existe a melhor estratégia para alguma coisa, mas sim a melhor estratégia para o seu perfil. Vejo que existem muitos conselhos prontos que muitos querem dar, e até cobram por isso. Aprendi que existe conhecimento, experiência e oportunidade. Pode-se realmente aprender e orientar-se com quem já trilhou o caminho, mas o que deu certo para outra pessoa, não necessariamente será igual para você. Crie sua própria direção;

4. Seja independente! Muitas pessoas buscam em outras a segurança, o respeito e autossuficiência. Aprendi que enquanto buscarmos isso no próximo, sempre continuaremos procurando, pois, a segurança, a liberdade e o respeito vêm primeiramente de você;

5. Confie em você sempre. Quando comecei meus investimentos muitos disseram que eu era louco, que ia acontecer x, y e z. Se eu tivesse ouvido essas pessoas, com certeza estaria apenas na vontade de querer ter os ganhos que tenho agora. Confiei nas minhas análises, em tudo que aprendi e segui em frente. 



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade do autor identificado abaixo.