O mundo, o movimento do dia a dia, a rotina, o que ouvimos, o que vemos, o que sentimos , o ambiente que estamos inseridos, as pessoas com as quais nos relacionamos, as informações boas ou não, o trânsito, a condução lotada, o trabalho bem feito, o resultado não alcançado, a crítica recebida, o feedback positivo, o mercado competitivo, a meta cumprida, a meta não cumprida, o negócio realizado, o negócio não realizado, a frustração, a realização, a reação intempestiva, a reação assertiva, a motivação, a desmotivação, a atividade física, o sedentarismo, o conformismo e falta de energia, o entusiasmo necessário para se manter ativo com metas tão necessárias para o contínuo desenvolvimento, etc.

Já parou um para pensar sobre como você funciona diante de todos esses cenários favoráveis ou desfavoráveis ?

Normalmente agimos e reagimos dentro de padrões que mal percebemos, faz parte do nosso comportamento e do no nosso modo de ser. Somos assim – funcionamos assim. Tudo é natural e não percebemos nossos padrões comportamentais que são automáticos e inconscientes.

Somos proativos ou reativos ?

Como reativos, tendemos a esperar por melhores momentos para iniciar um projeto, tendemos a avaliar e entender com profundidade antes de agir, tendemos a postergar as ações até explorar exaustivamente as opções. Essa tendência analítica pode ser positiva para momentos que podem exigir mais cautela. Porém , negativa para momentos que pedem mais energia e decisão rápida. Avaliamos, avaliamos, avaliamos e não agimos.

Como proativos tendemos a iniciar alguma atividade ou projeto sem muita pesquisa, o estudo é raso, o resultado passa a ser o mais importante, não avaliamos muito o como alcançar os recursos necessários e os custos para obtê-lo. Nada é adiado, a coisa precisa ser feita e pronto. Por que esperar se o momento é o agora? Podemos nessa velocidade encontrar barreiras inesperadas, bater de frente e se arrebentar completamente - ou quem sabe não encontrá-las e sair vitorioso do outro lado. O risco é constante.

Por outro lado, você pode ser um sonhador, com extrema criatividade, que fervilha em você a positividade levando-o acreditar que tudo é perfeito, que tudo é maravilhoso e nada pode tirá-lo de avançar para o mundo que desenhou. Ou quem sabe você não age de maneira crítica, aquela crítica extrema que te leva para o negativismo exacerbado, que nada vai dar certo, que tudo é muito difícil e que jamais você vai alcançar o que deseja.

Não existe o certo ou errado – é como você funciona. Quem não conhece uma pessoa sonhadora? Quem não conhece uma pessoa extremamente crítica e negativa? E você? O que você quer? Onde você quer chegar? Qual a sua meta? O que o motiva? Quais os seus pontos fortes? O que você faz bem e gosta? O seu jeito de funcionar o leva para onde você quer chegar?

Sabemos, muitas vezes, que temos conhecimento, habilidades e até recursos para chegar onde almejamos. Entretanto, alguma coisa trava e nos impede de avançar na direção desejada. Por que isso acontece? Por que não avançamos? A resposta está no como você funciona.

A chave é o autoconhecimento 

O processo de coaching tem a possibilidade de levá-lo ao autoconhecimento através de ferramentas cientificamente comprovadas tanto no Life como no  Executive/Leader coaching. Destaco três ferramentas, que o Coach utiliza no processo: DISC - que avalia o perfil comportamental com a finalidade de aumentar a compreensão das pessoas em relação ao seu próprio comportamento e de outros; Assess Systems – voltada para o ambiente empresarial - avalia o executivo e sua habilidades; e SixSeconds - permite ao indivíduo o entendimento das suas próprias competências de Inteligência Emocional.


Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade do autor identificado abaixo.