Como notoriamente divulgado pela mídia, o ano de 2015 foi marcado por um cenário de crise política e econômica com efeitos sociais. 2016 mal começou e previsões no mesmo sentido já foram anunciadas. Em meio a este cenário de incertezas, a postura de diversos setores da economia foi notadamente marcada por menores investimentos e redução de custos para operação.
Visando a recuperação de perdas e manutenção da viabilidade do negócio, diversas empresas investiram na contratação de serviços especializados, para “passar um pente fino” nas contas da empresa e criar um planejamento estratégico. Contudo, outras tantas não usaram ferramentas de preparo, o que acabou resultando na adoção de medidas paliativas e imediatistas, estritamente financeiras, como a demissão de funcionários.
Em ambos os casos, torna-se necessária uma reorganização interna da empresa. É nesse momento que ao bom profissional é aberto espaço para apresentar seu trabalho e potencial. Assim, em tempos de crise destaca-se o profissional que demonstra, dentre outras qualidades:
· inteligência emocional – para manter-se equilibrado em meio à instabilidade externa e conseguir projetar sua visão e ações para a superação das dificuldades;
· positividade – com uma postura otimista e não queixosa ante a situação fática que se apresenta, o bom profissional ainda contribui ao ambiente e aos colegas de trabalho;
· comprometimento – qual empresa não quer um profissional que “vista a camisa”, “na alegria e na tristeza”?;
· uso consciente dos insumos de trabalho – fazer economia de material e uso racional da estrutura da empresa, bem como não sobrecarregar desnecessariamente os demais funcionários, sem que isso represente perda de rendimento;
· coordenação dos trabalhos e gestão de tempo – saber identificar as prioridades para o contexto da empresa e cumprir tarefas dentro do prazo disponibilizado;
· criatividade – para diversificar a produção, inovar a oferta aos clientes, a custo e com recursos viáveis; e
· abertura e adaptabilidade - para desenvolver novas capacidades e mesmo cumular funções.
Muito se tem falado sobre o cenário de crise, mas pouco sobre o que ela representa. A crise surge quando algo não funciona bem e leva a um momento decisivo, sendo, assim, uma oportunidade de mudança e crescimento.
Em tempos de crise, portanto, destaca-se aquele que não somente foca no desenvolvimento de suas habilidades já notórias, mas também investe na identificação de aspectos e habilidades que podem ser aprimorados, cenário no qual o processo de Coaching revela-se ferramenta adequada para a eficaz produção dos resultados desejados.



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade da autora identificada abaixo.