Como melhorar sua empatia
Muito se diz sobre a importância de se construir empatia nos relacionamentos, nos processos de coaching e nas vendas, mas pouco se fala em como conseguir manter esse nível de empatia, por isso, aqui vão algumas dicas:

Viajar: visitar outros estados, outras cidades, pode ter um efeito imediato sobre sua empatia e sua compreensão dos outros. Quando você sai de casa, passa a ficar exposto a uma série de novas visões, novos cheiros, sabores, pontos de vista, hábitos e costumes.

Não julgue: estereotipar é outro julgamento que fazemos com frequência pelo cargo, raça, sexo ou talvez por algum outro fator. Por exemplo: um estudo recente mostrou que os pacientes cardíacos afro-americanos são mal diagnosticados em comparação com os brancos. O mesmo vale para mulheres. Pesquisas mostram que suas queixas ou descrições de sintomas, comparados com as dos homens, tem menor probabilidade de serem levadas a sério por médicos do sexo masculino.

Aprender com os fracassos: pesquisas recentes nas carreiras de pessoas com desempenho extraordinário revelaram a importância do fracasso como agente motivador. Fracasso não é uma pessoa, mas um momento na vida da pessoa. Um bom exemplo foi o acontecido com Abraham Lincoln, um dos maiores presidentes dos Estados Unidos, que sofreu mais fracassos do que a maioria das pessoas poderia tolerar, inclusive mortes na família e muitas derrotas nas eleições, mas assim mesmo foi vencedor.

Não compare: o problema básico com as comparações é que elas se apoiam em jogos de fantasia vistos a distância. As pessoas bonitas da televisão não parecem tão bonitas de perto, especialmente às seis horas da manhã. É sempre fácil achar que a grama do vizinho é mais verde, até ser olhado de perto e mostrar a invasão da erva daninha. 
 
Mais sucesso!



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade do autor identificado abaixo.