Como contratar um bom profissional de coaching
Muitos se aproveitam da falta de conhecimento de seus clientes para vender seus serviços como coach, quando na verdade não o são.
 
Caso não saiba avaliar o profissional, correrá o risco de sair somente com a Nota Fiscal, e sem retorno algum. Sem contar com o nervoso e desperdício de tempo, além do fato de que, muito provavelmente, deixará de acreditar no método como uma solução, deixando de desfrutar de seus benefícios. 

Mas como não cair em uma possível cilada?
 
- Faça uma boa pesquisa sobre o assunto;

- Avalie se não está comprando "gato" por "lebre". Há quem venda consultoria, terapia, ou até mesmo dinâmicas motivacionais com o nome de coaching;

- O profissional não pode prometer resultados, pois isto depende, em grande parte, do comprometimento do cliente;

- Fuja do marketing abusivo. Não se trata de um método milagroso;

- Verifique as credenciais do profissional e busque referências;

- Fuja dos profissionais formados em EAD;

- Desconfie de coaches que não podem divulgar o nome de seus clientes. Alguns se utilizam deste argumento para esconder sua falta de experiência;

- Cuidado com nomes como coaching esotérico, astrológico.
 
Além dos fatores mencionados, as competências e valores citados abaixo também são essenciais ao profissional:
 
- Para conduzir um processo de coaching é mandatório ter respeito à diversidade e não entrar em julgamentos;

- Também vale observar a ética e a integridade do seu coach, pois ele jamais poderá tecer quaisquer comentários sobre as sessões de seus outros clientes. Trata-se de um conteúdo altamente confidencial;

- Sua comunicação deve ser clara e objetiva;

- Deve ser organizado e saber fazer um bom planejamento de acordo com as necessidades de cada cliente ou organização;

- Deve ser uma pessoa motivadora e fornecer feedbacks relevantes;

- E, principalmente, deve trabalhar com altos padrões de qualidade.
 
Em outras palavras, é essencial tomar a decisão de escolha do profissional com base em evidências e muita pesquisa. Vá atrás, busque por referências, tente localizar os clientes do coach e, de preferência, converse com eles. Procure saber quais foram seus pontos de satisfação/insatisfação e pondere.
 
Jamais assine um contrato baseando-se apenas em decisões emocionais, como a simpatia que sentiu pelo profissional ou pelo fato de ter gostado de suas experiências, formação, etc. Há pessoas muito boas de lábia por aí.
 
Enfim, espero ter auxiliado na sua escolha. 
 
Fique atento, leia e pesquise, sempre!



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade do autor identificado abaixo.