No meu último dia de aula do curso de pós graduação na FGV (Fundação Getúlio Vargas) de São Paulo – isso já faz um bom tempo - , ganhei um livro de presente do professor de marketing. Era um livro de treinamento em vendas, tema que sempre me apaixonou – vendas. Como de costume, ao pegar o livro ou qualquer livro que seja, sempre inverto no início a leitura – começo pelo fim para depois iniciar a verdadeira leitura. Ao abrir a última página fui surpreendido com um pensamento final. Pensamento que, posso dizer, mexeu comigo, porque não dizer mexeu com a minha vida. A mensagem era muito forte, como se fosse escrita para mim e eu precisava daquelas palavras naquele momento. O pensamento iniciava com um poema do poeta Grego Hesíodo, em seu poema épico “A Sabedoria de Hesíodo”:

“Maldade é algo que você pode obter facilmente e em quantidade; a estrada é plana e fica bem perto. Mas na frente da excelência, os Deuses imortais colocaram suor e o caminho para ela é longo, íngreme e inicialmente áspero. Quando, porém você chega ao topo, torna-se fácil, mesmo que duro.”
As linhas deste poema tem uma forte mensagem. Delas emergem três pensamentos-chaves:

"A mediocridade é fácil. É o caminho da menor resistência, a zona de conforto na qual muitas pessoas vivem suas vidas. Nossa sociedade está cheia de pessoas praticando a mediocridade. Mediocridade é o resultado tanto de não examinar e questionar nossas crenças e aceitar a realidade como ela é quanto enxergar a importância de uma mudança de paradigma, mas não querer aceitar os riscos necessários para a mudança".

"A excelência em qualquer coisa exige trabalho. Isto não quer dizer o suor do esforço físico, mas o trabalho difícil de olhar pra dentro de si mesmo e comprometer-se com a jornada da modificação pessoal".

"A chave é a autodisciplina. Somos criaturas de hábitos. Levantamos cada manhã e atravessamos o dia com reações habituais a cada situação. Inconscientemente, operamos no piloto automático, os padrões precondicionados de nossas vidas. Contudo, podemos criar novos hábitos positivos em nossas vidas. Podemos criar novas estruturas – novos padrões que produzam maior sucesso, alegria e felicidade".

Com a formação de coaching vim clarificar mais ainda o entendimento desse poema e relacionar o estado atual que pode representar a zona de conforto para muitas pessoas, e a passagem, a travessia, a caminhada para o estado desejado representa romper todas as barreiras sejam internas ou externas, mas que podem ser vencidas. O Coach tem esse papel, de apoiar o seu coachee de forma desafiadora a sair da sua “zona de conforto” para avançar na direção da sua meta.

Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade do autor do post identificado abaixo.