O Coaching apresenta um foco na solução dos problemas, e não nos problemas em si. Partindo desta premissa, concentra-se no presente e, a partir do desenvolvimento de habilidades do coachee, busca promover mudanças para o seu futuro. A psicoterapia, por outro lado, analisa constantemente o passado – próximo ou distante – para compreender os problemas pelos quais o cliente está passando e, a partir disso, levantar hipóteses e criar intervenções para que seu presente e seu futuro sejam modificados.

A psicoterapia é voltada para pessoas que estão passando por algum sofrimento e que, muitas vezes, precisam de orientações mais diretivas para superar suas dificuldades. Em contrapartida, o Coaching tem como público-alvo indivíduos que não estão sofrendo, mas que gostariam de melhorar ainda mais sua qualidade de vida e que, com o apoio do coach, podem contar com recursos pessoais para se aprimorarem.

Quanto à estrutura, a psicoterapia, em função de seus objetivos específicos, geralmente não apresenta um número previamente delimitado de sessões, sendo necessárias análises, levantamento de hipóteses e testes de intervenção ao longo do próprio processo para que os resultados possam ser observados. Desta forma, sua duração pode variar muito de cliente para cliente, a depender das questões que estão envolvidas em suas dificuldades. O Coaching, devido a seu caráter mais objetivo e com foco no desenvolvimento de competências, possui um número previamente especificado de sessões, período este no qual o cliente deve conseguir atingir os objetivos determinados inicialmente. Caso o coach note que seu cliente não está se desenvolvendo conforme o esperado, sugere-se a interrupção do processo antes de completar o número estipulado de sessões e o encaminhamento para outro tipo de trabalho que possa trazer mais benefícios ao coachee.

A despeito das diferenças acima apresentadas entre o Coaching e a psicoterapia, um mesmo indivíduo pode, em alguns casos, passar pelos dois processos simultaneamente, de forma que um complemente e otimize os benefícios do outro. Torna-se sempre importante a pessoa se informar e avaliar, mediante conversas com os profissionais das duas áreas, qual trabalho é o mais indicado para a obtenção dos resultados desejados.



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade da autora identificada abaixo.

  0   0

Sarah Izbicki

Life Coach

Formada em Psicologia pela USP, especialista em terapia comportamental e mestre em Psicologia Clínica pela mesma Universidade. Professional Coach formada pela Sociedade Latino Americana de Coaching e Analista Comportamental DiSC pela Inscape Publishing. Atua como Life Coach, psicóloga clínica e supervisora no serviço Pró-estudo.