O ano era 2011 e eu tinha um grande desafio que era desenvolver a primeira vídeo monografia em Gestão de Pessoas pela Fundação Getúlio Vargas. Projeto ambicioso para um indivíduo que não tinha nenhum centavo para arcar com os custos de produção de um documentário.
Estava quase desistindo do meu projeto e já começava a rascunhar minha monografia de forma convencional, quando uma Coach percebeu o meu drama e me apresentou a metodologia Coaching. Fiquei meio receoso a princípio e como eu queria muito tocar aquele projeto, acabei comprando a ideia e durante 12 sessões comecei a me deparar com inúmeras ferramentas diferentes e interessantes que me elevaram a um platô do autoconhecimento de forma significativa. Além de ser invadido com perguntas cirúrgicas que adentravam a minha intimidade de forma avassaladora, revelando os mais profundos sonhos e desejos que eu possuía. Ao longo do processo vi o meu projeto deixar o plano holográfico mental e se transformar num documentário que rompeu as barreiras da universidade sendo exibido em festivais de cinema e de quebra uma indicação ao prêmio Ser Humano, prêmio concedido pela ABRH-RJ no ano seguinte, aos melhores do ano no segmento de gestão de pessoas.
O resultado do processo não poderia ser diferente, META ATINGIDA COM EXITO, foi quando percebi os benefícios que a metodologia Coaching trouxe para o meu universo, tanto que até mesmo sendo Coach formado pela SLAC, procuro ser submetido à metodologia Coaching constantemente, para me desenvolver ainda mais, pois acredito infinitamente na metodologia.
Conforme evolui, um insight me inspirou a querer levar a metodologia Coaching a outras pessoas, comecei a estudar sobre o assunto, li artigos, assisti vídeos e fiz diversos cursos pela internet, porém para me tornar um Coach com credibilidade precisava fazer uma formação adequada e com respaldo, comecei a procurar a melhor escola para me dar esse subsidio e acabei escolhendo a SLAC.
Porém quando fui me matricular, minha esposa ficou grávida, que alegria e emoção em realizar o sonho da paternidade, e por essa nobre razão adiei a missão. Doravante continuei firme no propósito, estudos a mil por hora e muitos insights sendo desenvolvidos, até que dois anos depois enfim me matriculei na formação e alcei um voo que não tem mais volta, pois uma vez a mente aberta para o conhecimento, o cérebro jamais retorna para o mesmo lugar.
E por oito dias experimentei o limite do pensamento, absorvendo segundo por segundo a metodologia que estava sendo apresentada naquele momento. Entrei em um estado de fluxo contínuo e permanente, nesses dias simplesmente não dormi, meu cognitivo processava todas as informações adquiridas no curso de forma sublime e efetiva.
E tenho plena convicção em afirmar que foram os melhores dias de estudo que tive na minha jornada nesse plano e por vezes, quando estou atendendo um Coachee, tenho a sensação de que o universo Coaching me escolheu para que eu me formasse Coach. Talvez por minha vontade intrínseca em querer desenvolver o ser humano de forma consciente, dai acabei sacramentando que ser Coach. Com certeza foi a maior realização que tive nessa minha passagem por esse plano, e por isso afirmo de forma catedrática: Coach não é profissão, é MISSÃO DE VIDA e eu boto fé!


Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade do autor identificado abaixo.