Uma face do amor, representa um forte sentimento motivado por algo que almejamos, desejamos, ambicionamos, ou simplesmente consideramos relevantes ao longo das nossas vidas. Escrever sobre o amor que a sombra de uma árvore nos oferece, ou o conforto de uma bela mansão que nos acolhe a cada dia, ou aquele amor enfático e obcecado pela bela Mercedes na garagem, enaltecendo nosso status e amaciando nosso ego junto à sociedade e aos amigos. Esse amor material aqui descrito e sinteticamente exemplificado nos torna admirados, poderosos e respeitados, motivados e com elevada autoestima.

Na vida, a cada dia queremos SER e TER, mais e mais. Preservar e valorizar todo esse amor material que nos cerca, por ambição e porque não dizer, cultura, esteve e sempre estará pautado na nossa cadeia de valores pessoais e profissionais. A questão é a sua dosagem e equilíbrio na vida de cada um de nós, uma vez que, vivemos num mundo lógico e frio, mas cercados por sentimentos e calor humano.

Descrever o amor demandaria mais tempo e lógica, encaixando ideias como um quebra cabeça, e no final, o resultado certo, conhecido, esperado e meramente assertivo do mundo contemporâneo supervalorizado pelas nossas ambições materiais.

A outra face do amor nos separa e distingue da face lógica, sem escala numérica, medidas e dimensões materiais. As ações são espontâneas e instintivas, sem preço, interesses em ser ou ter. Descrever esse amor é presenciar uma mãe trazendo no ventre uma nova vida, aonde a dor do parto vem da luz e renovação. Não há lógica, só sentimento. Nossos puros gestos, de prestígio, carinho, igualdade e sentimento para com o próximo. Dizia a mãe: “Fazer o bem sem interessar a quem”, não enxergar faces, mas o carinho, fraternidade, apreço e a simples atitude em fazer. Amar é ao próximo, sem rosto, sem roupagem, não pela aparência ou poder. Sem expectativa de retorno e reconhecimento.

O amor que se descreve pelo contato, não só da palma da mão, mas da sinergia inexplicável do coração. Àquele do mais puro sentimento, que não nasce conosco e que ao longo da vida não se acaba com a certeza da nossa destinação. Impulsionado pelo coração passa a ser eternamente lembrado em nossa mente. Como os animais que instintivamente amam como se suprissem uma mera necessidade essencial da vida. Desejo a todos que encontrem, na “batedeira” do dia a dia, uma pausa para reflexão sobre a sua definição e equilíbrio sobre as faces do amor, aquele que na vida nos leva a mera necessidade do TER ou SER, e aquele que vem da voz do coração.

Vamos vencer.



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade do autor identificado abaixo.

  0   0

Alcemir Jorge Cunha

Master Coach

Oficial do Exército Brasileiro, Mestrado em Operações Militares, Licenciatura Plena em Educação Física, Especialização em Personal Trainer, Especialização em Gestão de Administração Pública, Especialização em Gestão e Assessoramento de Estado Maior, Master Coach. Sócio proprietário da Churrascaria House Grill.