A Liderança situacional pode ser utilizada como estrutura para proporcionar aos líderes a orientação de que necessitam para aconselharem seu pessoal através de todo o ciclo de Coaching de performance. Durante a reunião inicial, a Liderança Situacional orienta o líder na determinação do grau de participação para o processo de planejamento e estabelecimento de metas. Durante o restante do período, ela orienta o líder em cada interação com o subordinado.

O princípio subjacente da Liderança Situacional é que os líderes devem ajustar os seus estilos de liderança ao nível de prontidão (capacidade e disposição) de seus subordinados para executarem uma determinada tarefa. Liderança é o volume de comportamento de tarefa (direção) e comportamento de relacionamento (apoio) fornecida pelo líder. 

ggallery id=229]

Os mesmo princípios se aplicam aos papeis de liderança no processo de Coaching de performance. Para serem eficazes, os líderes devem ajustar as maneiras pelas quais aconselham o seu pessoal com base no nível de prontidão deles para cada tarefa que se espera que eles executem. O Coaching de performance é uma aplicação singular dos princípios da Liderança Situacional que orienta os líderes nas transações do dia-a-dia com os seus subordinados.

O nível de prontidão mais baixo (P1) de um grupo ou indivíduo é descrito como não disposto e não capaz de realizar uma determinada tarefa. O estilo de liderança apropriado é aquele que proporciona volumes elevados de comportamento de tarefa (direção) e volumes reduzidos de comportamento de relacionamento (apoio). O nível de prontidão seguinte (P2) é descrito como disposto mas não capaz. O estilo de liderança apropriado (E2) é o de volumes elevados tanto de comportamento de tarefa como comportamento de relacionamento.

O nível de prontidão seguinte (P3) é descrito como capaz mas não disposto na medida em que o indivíduo carece de confiança ou comprometimento. O estilo de liderança apropriado (E3) é o de volumes elevados de comportamento de relacionamento e volumes reduzidos de comportamento de tarefa. O nível de prontidão mais alto para um grupo ou indivíduo realizar uma determinada tarefa é disposto e capaz (P4). O estilo de liderança apropriado é de volumes reduzidos tanto de comportamento de relacionamento como de tarefa.

O Modelo de Liderança Situacional propicia uma estrutura a partir da qual é possível diagnosticar diferentes situações e prescreve qual estilo de liderança terá a maior probabilidade de êxito numa situação específica. A utilização do modelo pode tornar os supervisores mais eficazes na medida em que ilustra a conexão entre sua escolha de estilos de liderança e a prontidão de seu pessoal. Como tal, a Liderança Situacional é uma ferramenta poderosa para os supervisores utilizarem no processo de coaching.

Martin Shervington, em Coaching Integral: além do desenvolvimento pessoal, editora Qualitymark, 2006.