Coaching vs. terapia

As terapias são recomendadas para pessoas em busca de solucionar problemas, disfunções ou transtornos psicológicos ou psiquiátricos. As psicoterapias possuem caráter clínico, além de serem exercidas por profissionais de psicologia. Por isso, o coaching se difere dessas técnicas, já que não lida com traumas nem problemas passados.

O terapeuta busca os motivos de algo que tenha desencadeado determinados comportamentos, obtendo um diagnóstico e fazendo as intervenções necessárias.

O coaching não tem caráter clínico, nem é focado em trabalhar transtornos psicológicos ou psiquiátricos. Seus procedimentos estão sempre direcionados para o futuro, em objetivos específicos, com olhar na solução e não em identificar problemas.

O coach não faz diagnósticos nem aconselha, mas auxilia o cliente a encontrar um objetivo pessoal e identificar as limitações e possibilidades pessoais e profissionais.

O coaching é um empoderamento do ser, enquanto a terapia é a cura por meio da resolução de problemas passados que estejam afetando o presente.

A importância dessas duas técnicas

As duas técnicas são valiosas, mas devem ser utilizadas individualmente conforme as necessidades pessoais de cada cliente.

Vale destacar que, embora o coaching não seja uma técnica psicoterapêutica, o processo pode ser terapêutico para o cliente, quando este adquire qualidade de vida ao se desenvolver profissionalmente e na esfera pessoal. Mas não é tão profundo como a psicoterapia, porque está focado em pontos do presente, na assertividade, gestão de carreira e perspectivas futuras, sem considerar traumas ou resquícios de problemas passados.

Uma pessoa que deseja fazer psicoterapia, no mesmo período em que passa pelo processo de coaching, deve buscar especialistas diferentes para essas atividades. O coaching não é a solução para todas as dificuldades de um cliente, que nem sempre tem satisfação em longo prazo e, em pouco tempo, deseja novos objetivos, característica natural do ser humano.