Um objetivo do aconselhamento é conferir poder à outra pessoa. A meta é as pessoas serem ativas em suas próprias vidas. Quando você diz às pessoas o que fazer, você reduz o poder delas; quando você ajuda as pessoas a fazerem as próprias escolhas, você lhes dá poder. O poder pessoal permite que as pessoas iniciem, avaliem, decidam e, em última análise, criem o seu próprio futuro.
A ajuda mais elementar que você pode proporcionar a alguém é assistir a pessoa na tomada de suas próprias decisões. Em resumo, tente não dar conselhos, mesmo que lhe peçam diretamente. Em vez disso, apresente sugestões, opções e alternativas. 

As pessoas que estão vivenciando um problema momentâneo geralmente são capazes de vislumbrar apenas uma nesga daquilo que é possível. Simplesmente estão próximas demais do que está acontecendo para obter uma perspectiva mais ampla.

É apropriado e construtivo de sua parte apontar alternativas e a viabilidade das possíveis conseqüências de diferentes decisões. Você pode oferecer opiniões sobre diferentes opções, mas este deve ser o limite da sua contribuição.

Marshall Goldsmith em Coaching: o exercício da liderança, editora Campus, 2003.