O Coaching Integral se baseia no princípio de que uma pessoa pode colaborar para o desenvolvimento de outra. Este pode ser um processo contínuo, levando a níveis mais profundos de consciência e à integração do self.

Um modelo de apoio

A competência depende tanto da capacidade quanto da certeza sobre ela (agora e no futuro). Segundo Albert Bandura, devido à visão internalizada de sua competência, “as pessoas tendem a evitar atividades e situações que acreditem estar além de suas capacidades, mas assumem prontamente tarefas desafiadoras e enfrentam ambientes sociais que se julgam capazes de administrar”. Essencialmente, precisamos considerar a interação entre desafio e apoio; as pessoas crescem quando enfrentam uma certa dose de desafio, com o nível adequado de apoio. O modelo de apoio pode ser utilizado para refletir se os aspectos da vida do indivíduo se apresentam de tal forma que lhe ofereçam as melhores oportunidades de crescimento e desenvolvimento. Vejamos o exemplo do treinador de uma equipe esportiva que incentiva os atletas a exercitar todo o seu potencial. Ele precisa conhecer as condições necessárias ao equilíbrio entre desafio e apoio. O mesmo se aplica ao ambiente profissional: se o mentor que conhece bem sua tarefa quiser ajudar um dos funcionários, vai permitir que ele cresça dentro de determinado nível de exigência. É preciso levar em consideração os fatores externos e internos. A questão, tanto para o coach como para o coachee, é: “Como podemos, ao mesmo tempo, ajustar os conceitos internos do self e contribuir para a melhoria do desempenho?” O psicólogo Bandura indica quatro maneiras de fazer isso:

O recurso mais eficaz é o sucesso

São as experiências de bom desempenho que desenvolvem o senso de capacidade. O fracasso gera dúvida. Mesmo quando acontecem reveses, a autoconfiança ajuda a criar a tenacidade que, por sua vez, leva ao desempenho positivo.

O segundo método é o exemplo

O sucesso daqueles com quem convivemos nos interessa e inspira. Podemos aprender coisas boas com eles; já o exemplo negativo tem efeito contrário.

Persuasão social

A persuasão social pode ser exercida por coaches, mentores ou qualquer pessoa capacitada. Como diz Bandura, “esses indivíduos fazem mais que simplesmente emitir comentários positivos. Além de cultivar nas pessoas a crença nas próprias capacidades, estruturam as oportunidades de modo que elas sigam obter sucesso, evitando que se deparem prematuramente com situações para as quais ainda não estão prontas”.   Martin Shervington, em Coaching Integral: além do desenvolvimento pessoal, editora Qualitymark, 2006. Sulivan França Atual Presidente da Sociedade Latino Americana de Coaching, Sulivan França é Master Coach Trainer por meio da International Association of Coaching Institutes, possui licenciamento individual conferido pelo Behavioral Coaching Institute (BCI) e credenciamento individual junto a International Association of Coaching (IAC) além de Master Trainer por meio da International Association Of NLP Institutes. Siga-me no GOOGLE+