Nós coaches ao nos comunicarmos com nosso coachee, além de perguntas poderosas, escuta atenta em todo o processo de evolução, condução e uso da persuasão com ferramentas, não podemos nos esquecer do que considero das mais importantes e exige alto grau de entrega: a voz interna do coachee.

Não comunicamos bem com pessoas que não se ouvem. Aí entra nosso trabalho. Comunicar de uma forma onde não aconteça ruído, (entendimento equivocado) para que a comunicação final seja entendida.

O que seria o mundo caso estivéssemos falando poderosamente para as pessoas que ouvem conscientemente em ambientes que são aptos para o propósito? O que o mundo seria caso estivéssemos criando e consumindo sons conscientemente projetando todos os nossos ambientes de forma consciente? Um mundo onde os sons fossem de paz. Onde as palavras seriam bem colocadas para a conscientização de vidas melhores. Qual seria o nosso papel como coaches através de ferramentas? E ao usar nossa voz, postura, a condução de maneira inteligente, o progresso do ser humano evoluiria? Já imaginou quanto poder temos em nossas mãos? O valor de podermos agregar ás nossas vidas e principalmente as que procuram apoio, seja profissional, pessoal ou em qualquer área da vida?

Isso seria ótimo, soaria perfeito! Nossa postura e responsabilidade diante do ser humano é uma das armas poderosas para um mundo de resultados fantásticos. Essa é uma ideia que merece ser espalhada.

Orgulho de estar aqui!



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade da autora identificada abaixo.

  0   0

Eliziane Terezinha Pivato

Life Coach

Formada em Comunicação Social com ênfase em Publicidade e Propaganda na Faculdade OPET Curitiba, pós graduada com MBA em Comunicação e MKT na UNICURITIBA, Locutora e Apresentadora de TV, âncora de programas o vivo, diversos comerciais e audiovisuais, campanhas publicitárias e palestrante.