O conhecimento envolve o saber, as informações e procedimentos para executar determinada atividade; A habilidade é o saber fazer, a prática do conhecimento; E a atitude, o querer fazer, a iniciativa para agir diante das situações.

Com pessoas cada vez mais qualificadas e com mais acesso as informações, ter competência é a condição fundamental para manter-se competitivo no mercado de trabalho e, em geral, os colaboradores norteados pelas diretrizes do CHA apresentam bons resultados e um bom desenvolvimento na execução de suas atividades. No entanto, as constantes mudanças vivenciadas no ambiente organizacional ao longo dos últimos anos ocasionaram uma modificação nesse conceito, tornando-o mais abrangente. O CHA virou CHAVE.

Nesse novo conceito, o V representa os “valores” - é relevante que o profissional contratado para fazer parte da equipe de funcionários, se identifique com os valores e a cultura disseminados pela empresa que fará parte. Não adianta ele ser competente, se não concordar com as regras que norteiam e apoiam o funcionamento da organização. Por isso, muitos colaboradores são contratados pelas suas competências técnicas e demitidos pelas competências comportamentais. O lado comportamental do ser humano é muito mais complexo e difícil de ser modificado do que o aprendizado técnico.

O “E” da CHAVE significa Entorno - envolve o ambiente, as ferramentas, equipamentos e recursos necessários para o bom desenvolvimento do trabalho. Por exemplo, quando pensamos num escritório de contabilidade podemos considerar como entorno desde um ambiente iluminado, limpo, com computadores e softwares necessários para realizar os cálculos e gerar os documentos necessários para atender os clientes, até a estratégia de divisão das atividades a ser seguida pela equipe de colaboradores. É um elemento extrínseco, que depende da empresa para criar um cenário agradável, no qual as pessoas se sintam confortáveis, cercados da estrutura necessária para produzir o que se espera delas.

Essa nova visão do mundo moderno nos leva a refletir sobre um futuro em que a empresa que almeja uma sustentabilidade organizacional deve entender que existem vários outros aspectos que impactam nas relações de trabalho. É preciso repensar no ambiente de trabalho de maneira sistêmica, o que vai além de desenvolver pessoas somente através um conjunto de competências.

Nenhuma organização conseguirá obter sucesso e alcançar suas metas se não alinhar os objetivos dos profissionais que fazem parte da sua equipe com os objetivos organizacionais. A relação entre empregado e empregador tem que ser uma via de mão dupla, interessante para as duas partes.



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade da autora identificada abaixo.

  0   1

Maíra Tavares de Sousa

Life Coach

Depois de atuar anos na área de Educação como Coordenadora de Ensino a Distância, assumi o desafio de implantar e estruturar todo o setor de Recursos Humanos e Departamento Pessoal na Empresa Polo Logística Ltda, empresa em que trabalho atualmente.