Talvez uma das coisas mais difíceis de fazer hoje em dia seja perceber o mundo com os sentidos do outro.

O tempo todo, estamos focados apenas no que nos interessa: enxergamos o que queremos ver, sentimos de acordo com o nosso estado de humor. ouvimos o que nos convém.

Nossas reações diante das situações refletem nossas experiências e, quando não temos a experiência, espelham nossas crenças, nossos valores, preconceitos, nossa ideologia e tudo mais que incorporamos desde que nascemos e ao longo do nosso crescimento, quer faça sentido ou não.

Isso acontece comigo, com você e com a maioria das pessoas.

Ao longo da vida, temos dúvidas. Algumas, sanamos sozinhos, mas sempre têm aquelas para as quais, na maioria das vezes, pedimos a opinião dos outros para saber o que fazer. E é aí que não perceber o mundo com os sentidos do outro faz toda diferença.

Imagine que você está com um problema e desabafe com seu melhor amigo. Na pressa de querer te ajudar, o conselho dele pode não ser a melhor solução.

Isso porque uma receita que deu certo para ele não é garantia que vai dar certo com você. Ela é baseada na vida, nas experiências, crenças e nos valores dele. A não ser que vocês sejam extremamente iguais, o que é quase impossível, é muito difícil que o que deu certo para ele vai funcionar com você. O contrário também é verdade.

Além disso, seguir uma receita sem avaliar tudo o que vai nela, principalmente se ela combina com os seus valores pessoais, mais do que um desperdício de tempo, é um esforço que te impede de refletir sobre o que deve fazer, como fazer, quando fazer, além de não te estimular a tentar, errar, acertar, enfim... te impede de crescer e de assumir as responsabilidades pelas suas escolhas.

Ter as respostas prontas é como cortar caminho por um atalho que, talvez, te ajude a chegar mais rapidamente ao seu destino. Porém, descobrir as suas próprias respostas te possibilita pavimentar o caminho que você deseja cruzar e, mais do que isso, aproveitar com mais intensidade o objetivo que deseja alcançar.

Estamos tão acostumados a deixar que os outros falem o que temos que fazer, que esquecemos que dentro de cada um de nós existe um potencial imenso só esperando alguém que o estimule a entrar em ação.

Pensar por nós mesmos é um desafio que vale a pena ser vivido. O processo de Coaching pode ajudar!