Com frequência vejo as pessoas a minha volta em busca de cursos de oratória, técnicas para falar em público e como se tornar uma pessoa capaz de falar bem e fazer um bom marketing pessoal. Essas pessoas acreditam que os cursos lhes proporcionarão a habilidade de falar em público e a perda do medo e da inibição. E, sim, os cursos são excelentes, e as técnicas de oratória e orientações sobre como se comunicar em público são essenciais para uma performance ainda melhor no mundo dos negócios. Mas... Será que, antes de buscar estes treinamentos e acreditar que eles resolverão todos os seus problemas, você realmente parou para pensar em quem você é e aonde quer chegar?

Entender a tipologia humana não significa dividir as pessoas em padrões, mas revelar diferenças individuais, possibilitando que nos conheçamos melhor. “Tipo é uma disposição geral que se observa nos indivíduos, caracterizando-os quanto a interesses, referências e habilidades.” Jung (1967: 551). Em 1921 Carl Jung, psiquiatra e psicoterapeuta suíço, publicou o Livro “Tipos Psicológicos” onde descreveu o tipo Extrovertido e o Introvertido. Extrovertida é aquela pessoa que sai com facilidade ao contato com o mundo exterior, tende a ser mais sociável e influenciada pelo ambiente exterior. Já o introvertido é aquele que se isola mais, volta sua energia e atenção para o mundo interior e tende a ser mais pensativo e, portanto, mais inseguro para lidar com ouras pessoas.

Transforme sonhos em realidade
Sendo assim, é natural que as pessoas mais extrovertidas consigam falar em público com mais naturalidade, segurança e domínio da situação. Mas... E aquelas pessoas que no dia a dia não se apresentam tão extrovertidas, mas conseguem falar muito bem sobre algum assunto que domina? Na década de 40, os psicólogos começaram a pensar em uma nova categoria já mencionada por Jung, a dos ambivertidos. Estes últimos são aqueles que em alguns momentos tendem a ser mais inibidos, e outros, extrovertidos. Não são pessoas propriamente tímidas, mas também não conseguem se encaixar nas características do grupo extrovertido. Estas pessoas podem, por exemplo, conversar animadamente quando um assunto do seu interesse vem à tona, mas, quando este assunto acaba, não se incomodam em sentar e ouvir o resto da conversa quietos.

O que atrapalha as pessoas tímidas a falarem em público são a ansiedade, a insegurança e o medo. Normalmente, são pessoas que se comunicam muito bem por escrito. As pessoas extrovertidas, por outro lado, também podem se atrapalhar, pois – ao se sentirem muito seguras – podem falar equivocadamente sobre temas dos quais não possuem muito domínio.

Muitos se sentem frustrados por encerrarem seus cursos de oratória e, mesmo assim, não conseguirem fazer suas palestras e apresentações. Afinal de contas, é possível desenvolver a competência da comunicação? Sim! Além dos cursos que apresentam as técnicas, através do autoconhecimento, de aceitar suas condições, conhecer suas limitações e seus pontos fortes. Através do domínio do assunto em questão e, até mesmo da psicoterapia, se este for o caso. Mas, antes de tudo, pergunte-se se você quer mesmo mudar, o quanto você quer isso e o quanto é necessária esta mudança para sua atividade e o tipo de trabalho que desenvolve. Lembre-se que não há mudança quando a pessoa não está internamente disposta e realmente direcionada a isso.

Portanto, conheça-se, descubra-se, respeite-se, perceba as competências realmente necessárias para sua atividade, aproveite seu talento e brilhe!



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade da autora identificada abaixo.