Isso é ótimo e saudável, todos temos prazo de validade onde trabalhamos. O prazo varia de uma centena de fatores, mas o fato é que uma hora você não tem mais para onde ir, ou não quer mais continuar ali. Sente-se estagnado e insatisfeito.

Porém, precisa trabalhar, as contas vencem quer você esteja empregado ou não, feliz ou não, satisfeito ou não. O ideal é procurar um emprego enquanto trabalha. Mas isso pode ser muito complicado.


Então vamos a algumas verdades:

Seu CV não pode ficar totalmente exposto para novas oportunidades em sites onde sua própria empresa faz busca de currículos. Para isso, a maioria dos sites de emprego tem um modo confidencial de apresentar o CV.

O Linkedin é uma ótima opção. Muitas pessoas usam para netoworking, divulgação de produtos e troca de informações, não só para procurar emprego. Então não há problema algum se alguém do seu trabalho o vir no Linkedin. Só tome cuidado com os compartilhamentos e likes: todos aparecem na sua página inicial e qualquer um pode ver. Faça a busca por vagas, envie ou cadastre seu CV, mas não fique gostando ou compartilhando vagas no seu perfil.
Transforme sonhos em realidade

Sempre que possível, pois nem sempre dá pra saber, envie seu CV para a agência de seleção que trabalha para a empresa contratante. As empresas maiores costumam contratar agências para triar candidatos. Com o selecionador dessa agência você pode conversar abertamente em relação a suas pretensões profissionais, pois ele está apenas intermediando. Essas agências geralmente trabalham em horários diferentes do comercial para atender candidatos que estão empregados, e podem conseguir um horário melhor para sua entrevista com alguém da própria empresa contratante. E se você não conseguir a vaga, eles vão manter seu processo para uma outra oportunidade, uma vez que o trabalho deles é fechar as posições abertas, pois são comissionados.

Tendo abertura, conte a seu chefe que está procurando outro emprego. Se ele tiver condições de entender que você pode dar mais do que a empresa atual requer, ele vai entender. E você não terá que passar mal para ir às entrevistas presenciais. Se não houver abertura e o clima no seu trabalho tornar-se insuportável se seu chefe souber que você quer sair, não vai ter jeito. Existem gestores que não conseguem ter maturidade para entender quando o prazo de validade do funcionário venceu, ou que ele tem outras perspectivas e planos, e sentem-se ofendidos. Se souberem das intenções, ou vão demiti-lo, ou transformarão a convivência e o clima num verdadeiro inferno, com intenção de que ele peça demissão antes do planejado.

Descrevo dessa forma porque infelizmente já vi isso acontecer, mais de uma vez, em mais de uma empresa. Arrisco dizer que isso é mais comum do que o contrário… Se esse é seu caso, sinto muito mesmo em dizer que você terá que mentir. Quem não se abre para diálogo, pede para ser enganado, seja o chefe, os pais, o cônjuge, os amigos. Dependendo da quantidade de entrevistas, sua intenção vai se tornar perceptível, e como é muito ruim mentir, prepare-se para passar por um período estressante.

O ideal é que comece sua busca um pouco antes da férias. Quanto mais sênior no seu cargo você for, mais antecipadamente às férias você vai procurar outro trabalho. Isso porque quanto mais caro o profissional, mais moroso costuma ser o processo seletivo. Fazendo isso, você elimina o período de divulgação do seu CV, e até de entrevistas nas agências de emprego, tendo muito mais chances de ser chamado para as entrevistas presenciais com o contratante durante suas férias. Evita que você tenha que mentir, criar um clima desagradável, ou simplesmente que sinta-se mal.

Continue desempenhando seu trabalho como sempre, com responsabilidade e interesse. Você sempre terá algo de bom para lembrar do seu emprego atual, algo que aprendeu, ou algo a agradecer. Mesmo que você nunca mais volte, saia de portas abertas.



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade da autora identificada abaixo.

  0   0

Viviane Nishiura

Life Coach

Coach de profissionais de RH. LifeCoach e Analista Comportamental DIsc pela Sociedade Latino Americana de Coaching. Formada em Psicologia pela Universidade Mackenzie, com mais de 20 anos de atuação em RH generalista. www.nishiura.com.br