Cresci com esta "fixação" eu sou o que acredito ser, na época pensei que estava à procura de paz interior e sem realmente encontrar o que me trazia aquele sentimento de paz.

Conforme fui crescendo percebi que ia assumindo algumas identidades que as vezes não eram realmente minhas, acredito que fiz isso para me sentir "incluída ou percebida" nos ciclos dos quais fazia parte. Tive algumas fases na minha vida, na qual vivenciei papéis como de: adolescente, adulto, namorada, gerente, coordenador, profissional, diretor, cargo de confiança, mulher, mãe, amiga, enfim... Se pudesse chamar a vida de "teatro", acredito que temos muitos papéis nos quais por alguns momentos encenamos ser aquilo que nunca fomos. Mesmo que de uma forma inconsciente.

Ocorre que alguns papéis são fáceis de levar adiante em nossa vida, pois estão congruentes com os nossos valores, nossas ações são aquelas que acreditamos ser realmente positivas e verdadeiras..., Mas e aqueles personagens que carregamos para agradar aos outros, família, esposo, amigos, colegas de trabalho entre outros. Se você já carregou por alguns anos esse peso em sua vida sabe o quanto torna-se pesado e difícil de levar adiante.

Foi então que decidi cuidar de mim e deixar leve a minha jornada nesta vida, pois cuidando de mim sabia que poderia cuidar da minha família e voltar a SER quem realmente eu quis sempre SER. E cuidar de mim foi:

• Ter tempo para me autoconhecer (revelações incríveis aconteceram, você percebe o quanto é bom o autoconhecimento, mesmo que não seja fácil encarar a si mesmo);

• O autocuidado foi minha intenção de vida, pois sabia que eu merecedora por isso;

• Me tornei flexível comigo mesma;

• Questionei certas crenças;

• Comecei a prestar atenção no que era diferente de um bom dia para um dia ruim;

• Explorei quando senti dor e sofrimento, tentando localizar porque isso estava lá (geralmente quando a realidade era diferente do que eu queria que fosse). Tudo isso finalmente se transformou em uma prática interior para mim);

• Aprendi a respirar (parecer bobagem, mas durante a minha vida não aprendi como se deve respirar e a calma que isso traz);

• Cuido de mim meditando;

• Eu perdoei;

• Me permiti fazer algo que nem todos fazem ou que acham certo;

• Cuido de mim todas as vezes que não quebro meus valores para agradar alguém.

Confesso que a minha lista de autocuidado vem crescendo, mas foi desta maneira que encontrei e venho aperfeiçoando a minha paz interior.

Aqui estão algumas dicas para CRIAR A SUA PRÓPRIA prática interior:

1. Conecte-se com si mesmo.

Autoconhecimento é ser capaz de explorar aspectos de si mesmo com curiosidade em vez de julgamento. Uma vez que desenvolve essa habilidade podemos aprofundar a conexão que temos com nós mesmos em todos âmbitos: Espiritual, Físico e Mental. Se não sabe como fazer isso sozinho, existe diversos profissionais que pode lhe ajudar nesta jornada.

2. Conecte-se com a aceitação.

Reconheça o que é verdade sobre si mesmo, hoje, neste momento, exatamente como você é, sem tentar mudar imediatamente qualquer coisa. Esta é a aceitação.
Não rejeite quem você realmente é, reconheça cada parte de si mesmo. A aceitação traz a possibilidade de transformação...
A lagarta transforma-se em uma borboleta, ela aceita a mudança que ocorre. Quando praticamos o autocuidado, a transformação aparece em nossa vida.

3. Conecte-se com a autobondade.

Acredite você é especial como qualquer outra pessoa no planeta. Seja bondoso consigo mesmo e com os outros. Encontre seu mundo interior através da bondade com você mesmo com certeza será mais fácil.

4. Conecte-se com a autocompaixão.

Tenha compaixão por si mesmo, com seus defeitos e falhas.Tenha compaixão por qualquer ser humano com menos julgamento.

5. Conecte-se com as suas necessidades.

Uma grande maioria das pessoas gostam de ajudar e cuidar da vida do outro. Às vezes, sacrificamos nossas próprias necessidades, realmente o gesto é grandioso e todos nós sabemos disso. Porém, muitas vezes o excesso de dar aos outros pode estar por traz o medo de não ouvir nosso íntimo, o que de fato falta em nossas vidas.

Conecte-se com as suas necessidades sejam elas: físicas, emocionais, mentais ou espirituais. O que você precisa fisicamente, emocionalmente, mentalmente e espiritualmente? Qual sua carência?

Você já se perguntou como sua vida seria diferente se as suas necessidades fossem satisfeitas? (Comece a planejar as ações que vão lhe ajudar a iniciar o processo que vai atender suas necessidades básicas).

6. Conecte-se com os seus pensamentos.

Estar consciente de nossos pensamentos, nos dá a oportunidade de escolher se são verdadeiros ou não. Você deve desafiar seus pensamentos a fim de eliminar o que é positivo ou negativo. Por exemplo: Para onde seus pensamentos estão te levando?  Conectar com seus pensamentos significa conectar com sua vida, começar a agir para tirar da sua frente do que não presta mais.

7. Conecte-se com as suas crenças.

Às vezes, nossos sentimentos não correspondem ao que o nosso cérebro lógico está nos dizendo. Quando isso acontece, a resposta muitas vezes é para que essa contradição está em nossas crenças.

Formamos um monte de crenças ao logo de nossas vidas. Como adultos, às vezes nossas decisões atitudes atuais ainda são baseadas em crenças de quando ainda éramos crianças. O autocuidado é explorar o que as crenças que você possui o limita de ultrapassar barreiras e alcançar o que sempre desejou.

Já pensou se você acredita que: uma pessoa de sucesso obrigatoriamente representa ter dinheiro, se não tem dinheiro é fracassado? Ou que dinheiro só traz o mal? Ou ainda preciso dizer "sim", pois desta forma as pessoas gostaram de mim? Identificar estas crenças é poderoso e pode levar você a outro nível de perspectiva e autocuidado.


8. Conecte-se com as suas expectativas.

Nossas expectativas podem mudar a nossa forma de ver tudo em nossa vida. Eu observo que em dias que eu sou capaz de desativar completamente as minhas expectativas, eu costumo ter um dia realmente bom, porque não existem condições que são colocadas. O que acontece se você não alcançar as expectativas que você coloca em si mesmo? Por que criamos esta expectativa? Autocuidado é garantir que entendeu o que estava atrás destes desejos e não sofrer por isso.

9. Conecte-se com os seus desejos.

Há uma lacuna entre a maneira como as coisas estão agora e como queremos que eles sejam. Às vezes nós preencher esta lacuna com preocupação, dor e stress. Explore esta lacuna entre o que você é, e o que você realmente quer. O que exatamente você gostaria de ser diferente? O que seria útil para ajudar a reduzir essa lacuna?

10. Conecte-se com a sua intenção.

A intenção está atrás de tudo o que fazemos. Por um dia, uma semana ou um mês, faça a sua intenção de autocuidado principal. Isso significa que cada decisão que você faz existe uma intenção consciente de fazer o que é melhor para sua vida. Portanto, quais escolhas teriam sido diferentes em sua vida? O que você pode fazer hoje e começar a ter uma vida diferente e alcançar a sua paz de espirito e seu autocuidado?


Ps. Compartilhe esse texto para que outras pessoas também possam aprender como cuidar bem de si mesmo e também marque outras pessoas para que essa informação realmente possa fazer a diferença.



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade da autora identificada abaixo.

  0   0

Herica Ponsiana Soares Silva

Life Coach

Life Coach & Executive Coach; Membro da International Association of Coaching;Certificada DISC;Praticante de PNL;Certificada Cambridge na Austrália; Empreendedora,fundadora da empresa Conexão de Valor. Graduada em Comunicação Social. Especialista em Inovação,Organização e Gestão de Pessoas pela FGV.+10 anos de experiência na área comercial e gestão de equipe.