Uma organização nasce e pode morrer, caso sua liderança não possua as competências necessárias para atravessar momentos difíceis, uma vida de trabalho se perde facilmente. Decidir por cortes requer uma análise aprofundada de cenários, capacidade e velocidade de reação, habilidades, conhecimentos e um senso de julgamento apurado. Definir novos caminhos pode ser altamente estressante.

Conta certa história que um rei tinha um bobo da corte e resolveu confiar-lhe seu cetro, dizendo-lhe:

- Toma meu cetro, se encontrar um homem mais estupido que você, entrega a ele o cetro.

Muito tempo depois o rei adoeceu, chamou seu bobo da corte ao seu leito e disse-lhe:

- Parto para uma viagem da qual não há retorno.

- Não pretende voltar, perguntou o bobo.

- Não, nunca mais!

O bobo confuso, perguntou-lhe:

- Fez preparativos para essa viagem?

- Não, não fiz e agora não há mais tempo...

- Nenhum? - Perguntou espantado o bobo.

Então o bobo, refletiu por algum tempo e disse ao rei:

- Toma de volta teu cetro, acabo de encontrar alguém mais estupido do que eu!

Algumas pessoas demoram demais para planejar e tomar decisões importantes, tanto na vida privada como na vida pessoal. O tempo não espera, e provavelmente cobrará um preço por isso.

Muitas pessoas se arrependem por ter errado, e tantas outras por nunca terem tentado. Em que situações você já se arrependeu? Ter as pessoas certas nos lugares certos é uma necessidade imperativa, mas muitas vezes deixada de lado sem que seja dada a devida importância. Muitos podem ser os motivos desse comportamento da liderança. Entre os comportamentos estão: Falta de coragem, Falta de conhecimento e Falta de capacidade para gerenciar a mudança em tempos de crise. O que pode ser feito? Abaixo compartilho algumas sugestões:

Procure analisar o cenário ideal, o pessimista e o realista;
Prepare-se para qualquer um deles em termos políticos e financeiros;
Busque por ajuda especializada, pessoas em áreas correlatas com maior conhecimento e que possam contribuir com analises profundas sobre os acontecimentos presentes e futuros;
Certifique-se que as pessoas certas, estão nos lugares certos;
Confronte as pessoas que não estão produzindo resultados;
Faça uma troca de cadeiras se necessário;
Avalie periodicamente seus colaboradores mais próximos com base em critérios acordados previamente;
Estabeleça indicadores;
Dê feedbacks constantes e precisos, e prepare-se para isso;
Use todas as oportunidades de bate papo para ensinar ou compartilhar algo importante;
Busque por equilíbrio pessoal, cuide-se.
Analise sua vida e pergunte-se: Os resultados que tenho atingido, são os resultados que realmente queria pra mim?
Peça um feedback sincero das pessoas que te queiram seu bem.
Ouça com atenção e reflita com profundidade.
Vale a pena esperar e descobrir que você estava errado? Qual é o seu estilo, demora demais ou toma decisões rápidas demais? O que você tem colhido até aqui com seu estilo decisório? Você tem a coragem necessária para mudar agora? Precisa mudar algo? O que? Quando?

Boa reflexão!



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade do autor identificado abaixo. 

  0   0

João Palmeira