Dor e prazer, os dois lados da motivação

A maioria das pessoas sabem exatamente onde querem chegar, mas apenas saber o caminho não fará com que cheguem lá.

A maioria das pessoas sabem exatamente onde querem chegar, mas apenas saber o caminho não fará com que cheguem lá. Enquanto trabalham para suprir suas necessidades básicas, sonham com o dia em que terão mais dinheiro para usufruir o que a vida tem de melhor, enquanto assistem a promoção de colegas de trabalho, sonham com o dia em que chegará a sua vez, enquanto estão imersas nos afazeres do cotidiano, sonham com o dia em que terão mais tempo para curtir a família e os amigos.

Ocorre que a maioria de nós se apega ao conforto que o estado atual proporciona e por mais desfavorável que este estado possa parecer, tendemos a sustentá-lo enquanto a dor vinculada a mudança for maior do que aquela vinculada em se permanecer como está.

Não se trata de uma dor física ou patológica, trata-se de uma dor ainda mais intensa e paralisante. A dor emocional, nutrida pelo medo do fracasso.

Um fato interessante é que este medo nem sempre tem um motivo aparente, as vezes é resultado de experiencias vividas por outras pessoas e que acabamos assumindo como nossas ou ainda, baseado em fatos ocorridos em situações especificas do passado que acabamos por achar que toda vez que passarmos por situações semelhantes teremos a mesma frustração e por isso preferimos evita-las.

Pare por um minuto e reflita, quantas vezes você teve a certeza de que deveria ter tomado uma decisão que mudaria a sua vida, mas que depois ponderar sobre as consequências que esta decisão lhe traria acabou procrastinando ou até mesmo desistindo de agir?

Não é difícil encontrar pessoas que se queixam do trabalho, do chefe, da equipe, dos clientes e até da “tia do café”, mas se submetem a esta “tortura” durante anos. Por quê? A resposta está na percepção da dor que a mudança poderá trazer. “E se eu tentar um novo emprego e não conseguir?”; “e se o novo chefe for ainda pior?”; “e se não houver uma tia do café?”.

“O Segredo do sucesso é aprender como usar a dor e o prazer, em vez de deixar que usem você. Se fizer isso, estará no controle de sua vida. Se não fizer, é a vida quem controlará você.”Anthony Robbins

Mudar implica em desapego, abrir mão daquilo que já se tem e partir para ação vislumbrando o prazer de longo prazo. E para agir é preciso reprogramar a sua percepção sobre esses dois sentimentos, vinculando dor a situação atual e prazer na situação esperada.

Utilizando o mesmo exemplo mencionado anteriormente, deve-se vincular dor ao fato de estar desperdiçando sua vida num trabalho que não lhe satisfaz e prazer em agir com o que se tem de melhor para conquistar um novo emprego que lhe proporcione realização profissional.

Mudar a forma de como você vincula dor e prazer aos diversos aspectos de sua vida pode melhorar drasticamente os seus resultados, experimente!



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade do autor identificado abaixo.

Marcos Roberto Aimola

Marcos Roberto Aimola

Life Coach

+1
share

Comente

Programa Foco e Gestão com Sulivan França

Artigos dos Membros SLAC Coaching   /   veja mais

Contato / Te ligamos

De segunda a sexta
9:00 - 18:00

+55 (11) 3670-1770

info@slacoaching.org

Av. Francisco Matarazzo
1400 - SP

Sociedade Latino Americana de Coaching

+55 (11) 3670-1770
info@slacoaching.org

São Paulo - Brasil
Centro de Treinamento
Av. Francisco Matarazzo, 1.350
Água Branca - Cep: 05001-100
São Paulo - Brasil
Sede Administrativa
Av. Francisco Matarazzo, 1.400
Água Branca - Cep: 05001-100
CNPJ: 15.229.739/0001-47
Santiago - Chile
Oficina
Suecia 42, Oficina 02
Teléfono: +56 2 2632 5042
Lima - Peru
Oficina
Plaza Ricardo Palma 107 - San Borja
Teléfono: +51 980 037 494
Cartagena - Colômbia
Oficina
Cr 3 6A Esq. Ed. Jasban 407 - B/Grande
Teléfono: +57 5 655 03 01

Conteúdo Registrado ®
Todos os Direitos Reservados
Cópia Proibida.