Da China para o portal da Slac

Estou na China, onde coordeno uma visita de cinco empresários da região do Vale do Araranguá, no Sul de Santa Catarina, à Canton Fair, feira multissetorial que ocorre duas vezes por ano na cidade de Guangzhou. Sempre em abril e outubro.
Até o final de novembro do ano passado, eu era diretor de operações e gestor de marketing de uma empresa de gestão de comércio exterior que nasceu em Araranguá e hoje está em Criciúma.Saí para me lançar ao mercado como palestrante e coach, mas antigos clientes de missão empresarial solicitaram que eu fizesse pelo menos a parte da viagem como autônomo, uma vez que já havia coordenado duas missões semelhantes.

Aceitei e cá estou novamente, para auxiliar empresários a fomentar negócios. Visitar uma feira como a Canton Fair é importante por dois fatores. O primeiro é olhar produtos que tenham a ver com a própria atividade.O segundo é a possibilidade de fomentar novas oportunidades de negócio. Como diz Gutemberg de Macedo, "o líder é um indivíduo de uma sensibilidade muito aguçada". Citei esta frase porque é inegável que grandes empresários têm faro para identificar se algo pode trazer benefícios ou não. E tem de tudo.

Há boas opções de turismo em Guangzhou e região.Uma delas é a churrascaria "brasileira" no shopping Grand View Mall. Chineses vestidos de gaúcho servem carne no espeto corrido e ajudam a amenizar a saudade do Brasil.

Outra pedida é a Canton Tower, torre gigantesca por meio da qual é possível ver Guangzhou em 360 graus. À noite, um show de luzes envolve a obra e demonstra por que o ser humano é incrível. Como é bom estar vivo para ver isso!

Interessante também é o Computer Center. Um mar de eletrônicos à disposição. Aquário com água que dança conforme a música, lanterna que serve como arma de choque elétrico, "iPad" com sistema Android. Até Deus duvida.

Tem ainda a Beijing Road. Apelidamos carinhosamente de "25 de março", dada a semelhança com a famosa rua paulista. Pelo menos no que diz respeito aos procedimentos. Paraíso das compras baratinhas. A barganha impera no local.

Hong Kong

Hong Kong fica a duas horas de carro de Guangzhou. Pertence à China, mas tem administração separada. É capitalista, tem imprensa livre e até a moeda é diferente.
A gastronomia é excelente. Ideal para comprar eletrônicos e cosméticos de marca.

Trata-se de uma linda ilha, com edificações imponentes. Aliás, o que mais se vê são gruas. Um canteiro de obras gigante. É boa pedida para quem vem pra Canton Fair e deseja passear. Para isso, lembre-se que o visto da China deve ter duas entradas.

Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade do autor do post identificado abaixo.



Autor: KHALED SALAMA
Khaled Salama é jornalista, executivo, palestrante e coach. Escreve semanalmente sobre mundo corporativo para diversos veículos de comunicação. As palestras são nas áreas de atendimento ao cliente, trabalho em equipe, liderança e motivação. Para a trajetória completa e mais informações, acesse o site: www.khaledsalama.com.br.

Compartilhe

Contato

Telefone e E-mail

+55 (11) 3670-1770
info@slacoaching.org

A Elite do coaching na palma da sua mão

Baixe nosso aplicativo nas plataformas IOS e ANDROID

Redes Sociais

Acompanhe a SLAC em nossos canais e fique por dentro das novidades.

Te Ligamos