A camisa da equipe que eu visto

Em época de copa do mundo, parece que a frase “vestir a camisa” só nos leva a pensar no grande esporte Bretão. Eu estou na verdade falando de empresas e das camisas que os gestores querem que seus funcionários vistam, mas quais são estas camisas? Será que o gestor sabe realmente qual a que ele próprio e sua empresa vestem? Abaixo colocarei alguns exemplos para ilustrar o que estou falando.


Exemplo 01 -Tenho conversado com muitos gestores pelo Brasil afora e ouço muito que as pessoas que eles querem designar ou designaram como gerentes não estão correspondendo às expectativas. Eu costumo perguntar o que eles, gestores, gostariam que seus gerentes fizessem e geralmente vem a resposta: “Ah, eu gostaria que meu gerente fizesse tudo”. Na verdade, os gestores dizem isso porque em meus treinamentos falo muito que o lugar deles é no estratégico e os mesmos, para justificarem suas culturas operacionais, dizem que não conseguem parar para pensar estrategicamente devido não ter, por exemplo, um gerente que faça e resolva os problemas da empresa. Outra razão é que nem eles sabem o que querem que os gerentes façam dentro da empresa deles.


Para que isso se resolva, primeiramente o gestor tem que entender que seus funcionários precisam fazer o que ele delegar, mas como saber o que ele quer? Perguntas como, “O que é um gerente pra você ?” ou “Quais são as competências que você procura em um gerente?” o levarão a refletir. Estas entre outras perguntas realizadas dentro de uma sessão de coaching fazem com que o gestor comece a desenhar um mapa do que ele pensa do profissional que está prestes a contratar ou a promover.

Exemplo 02 -Gestor: “Aqui na cidade não tem mão de obra qualificada”.
- Eu: “Se não há, o que lhe impede de qualificar?”
- Gestor: “Ah! Para que ele passe alguns meses comigo, saia e abra concorrência?” ou “Para que ele seja levado para a concorrência por alguns reais a mais?”

Esses argumentos são os que eu escuto muito dos empresários pelo Brasil. Infelizmente não existe ninguém pronto para sua empresa, você que tem que qualificá-los. Outra coisa a considerar é que sempre haverá rompimento de relação, todos nós temos ambições na vida e um dia rompemos com alguém ou com algo para buscar nossas melhorias e assim acontece com os funcionários, um dia eles sairão de onde estão para buscar oportunidades melhores, principalmente se não forem reconhecidos ou bem cuidados onde estiverem.

Exemplo 03 -Muitos gestores acham que o que movem seus funcionários é apenas um bom salário e pronto. Ledo engano, o gestor não pode descuidar de algo muito importante chamado relacionamento. O psicólogo Americano Abraham Maslow criou uma pirâmide com cinco patamares que diz que a base de todo ser humano é o fisiológico. Se dentro da empresa não há uma condição de trabalho adequada com água potável, luz apropriada, um banheiro decente, enfim coisas que vão suprir as necessidades fisiológicas de seus colaboradores, como eles irão produzir de forma eficaz? Se o fisiológico deles não está contemplado eles nunca se sentirão seguros, que é o segundo patamar da pirâmide.

Sentir-se seguro é ter salários em dia, ter organização, ter processos bem definidos, normas que sejam iguais para todos, ter respeito mútuo dentro da empresa.

O terceiro patamar é o social. Se os funcionários estiverem fisiologicamente bem, sentem-se seguros, então eles socializam de maneira sadia. Ele contribui, participa, dá ideias, ouve o outro, enfim sente-se parte do todo na empresa. Consequentemente ele tem o quarto patamar atendido, que é a autoestima, ou seja, sente prazer em estar no ambiente de trabalho. O ápice da pirâmide é a realização, Maslow diz que todo ser humano precisa se sentir realizado, e isso só vem com o reconhecimento do outro. Empresas que não reconhecem seus colaboradores tem uma rotatividade muito alta, simplesmente porque isso é relacionamento.

Como vocês podem notar, um bom salário é apenas a ponta do iceberg. A camisa que o gestor quer que o funcionário vista precisa conter calor humano, precisa ser confeccionada com sangue nas veias, costurada com fios de organização para que todos se sintam literalmente em casa. Volto a dizer que relacionamentos um dia se rompem, porém enquanto as pessoas trabalharem com você, elas serão as melhores e consequentemente sentirão orgulho de um dia terem vestido a camisa da sua empresa.


Sucesso a todos!


Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade do autor do post identificado abaixo.



Autor: AMANDIO BASTOS DA SILVA JUNIOR
* Graduação em Letras - Licenciatura em Português & Inglês; * Pós graduação em Metodologia; * MBA em Gestão de Pessoas; * Consultor de empresas nas área organizacional, econômica e financeira; * Seminário EMPRETEC da ONU pelo SEBRAE; * Instrutor do IDEBRASIL; * Colunista do portal Capixabão, (www.capixabao.com); * Formado em Life, Executive & Master Coaching pela SLAC; * Membro da ICI.

Compartilhe

Contato

Telefone e E-mail

+55 (11) 3670-1770
info@slacoaching.org

A Elite do coaching na palma da sua mão

Baixe nosso aplicativo nas plataformas IOS e ANDROID

Redes Sociais

Acompanhe a SLAC em nossos canais e fique por dentro das novidades.

Te Ligamos